5 festas populares retratadas no cinema


O carnaval brasileiro representado no longa de animação Rio

Nossa festividade mais conhecida já ganhou espaço no cinema tanto em filmes quanto animações: de Orfeu Negro passando por Cinderela Baiana ao simpático Rio , e até menção no Guiness Book com o carnaval do Rio de Janeiro como o Maior Carnaval do Mundo. Mas esse mundão tem muitas outras festividades que atraem turistas para participar dos eventos mais loucos ou dos mais religiosos em diferentes épocas do ano. Grandes festividades foram retratadas ou inspiraram cenas, histórias inteiras e até videoclipes! Fizemos, então, uma pequena lista com as referências mais legais.

Mardi Gras em “A Princesa e o Sapo”

O carnaval em Nova Orleans é chamado de Mardi Gras

Já que é carnaval aqui, não custa lembrar que tem carnaval lá fora também. Nos Estados Unidos é tradição viajar até Nova Orleans para participar do Mardi Gras (Terça-Feira Gorda, traduzindo diretamente do francês). Significa o período de excessos permitido antes que se comece a Quaresma, período de jejum e recolhimento espiritual preparatório para a Páscoa. Na vida real, as coisas podem ficar bem “impróprias”, mas a Disney resolveu que a cidade seria o lar perfeito para sua primeira princesa negra e, obviamente, pegou bem leve na representação do desfile. No enredo, Tiana (Anika Noni Rose/ Cacau Gomes) é uma jovem garçonete que sonha abrir seu restaurante, mas tudo vai mudar quando o príncipe Naveen (Bruno Campos/Rodrigo Lombardi) cruzar seu caminho. A simpática animação A Princesa e o Sapo, teve a canção “Almost here” indicada ao Oscar 2010.

Carnaval de Veneza em “Casanova”

O sedutor Giácomo Casanova existiu de verdade, e suas lendárias histórias de conquistas fizeram a fama do galanteador e o tornaram sinônimo para cafajeste mulherengo. No longa Casanova, de 2005, Heath Ledger deu vida ao sedutor que se apaixona por uma bela dama durante o carnaval em Veneza. Retratando as belas fantasias com penas de pássaros e as famosas máscaras, costume que italianos e os turistas que vão curtir a temporada lá mantém até hoje, o filme narra as aventuras e desventuras de Casanova para conquistar o coração da bela que resistiu aos seus encantos.

As máscaras são uma tradição do carnaval veneziano

Mesmo sendo elemento principal do mais famoso, as belas máscaras decoradas não são exclusividade do carnaval de Veneza. Os grandes bailes de máscara já existiam pela Europa antes mesmo da instituição do carnaval como o conhecemos hoje, mas foi durante a ascenção da burguesia italiana que se instaurou o baile de carnaval como uma forma de ostentação de luxo e poder.

Día de los Muertos em “Festa no Céu”

Deixando o carnaval de lado, temos agora a linda fábula sobre morte e vida que tem com pano de fundo a mais tradicional festa mexicana: O Dia dos Mortos, ou Día de los Muertos. Festa no Céu é uma animação que trata de temas profundos, como o medo da morte, sem deixar de brincar com um romance tipicamente noveleiro – a mocinha entre dois amores. Quando Katrina (Kate Del Castillo) e Xibalba (Ron Pearlman/) decidem apostar o destino da humanidade confiando nas escolhas que três pequenas crianças farão no futuro, as coisas podem dar muito errado se um deles decidir trapacear. Contando em detalhes o folclore local, principalmente explicando (sem ser chato ou didático demais) porque eles festejam os mortos, o fofíssimo longa diverte dos mais novinhos aos marmanjos.

Festa no Céu: de forma fofa e colorida, explica a tradição do Dia dos Mortos

Mas se animação não é muito o seu forte, outras obras também retratam a festividade – embora elas não tenham papel crucial no longa: a incrível sequência inicial de 007 – Contra SPECTRE, o mais recente filme de James Bond (e a despedida de Daniel Craig do personagem) se passa num desfile do Dia dos Mortos no México. Em Batman vs Superman, há também uma impactante cena do Homem de Aço (Henry Cavill) cercado por pessoas que comemoravam a festividade logo após resgatar uma criança de um incêndio.

Durante a celebração, é comum que as pessoas se pintem como caveiras

Festas tribais em Apocalypto

Filmes sobre civilizações antigas costumam mostrar rituais dos mais diversos tipos, isso não é nenhuma novidade. O longa Apocalypto, dirigido por Mel Gibson e lançado em 2006, é acusado de não retratar fielmente a extinta civilização maia (o objetivo não era esse, como o próprio diretor explicou à época), mas apresenta para nós um vislumbre do que foi a decadência do Império e alguns de seus costumes. Muitas das festividades envolviam danças e sacrifícios humanos para aplacar a fúria dos deuses, mas também para celebrar a vida. Este longa – apesar de não focar nas festividades, entra em nossa listinha por ser bastante peculiar: além das cenas fortes de sacrifício e uma disputa esportiva (eles eram conhecidos por já ter campeonatos organizados de esportes muito parecidos com o nosso basquete atual), o filme é todo falado em um dialeto maia. Se nunca viu, vale por essa curiosidade.

Apocalypto mostra os costumes Maia – sacrifícios humanos eram celebrações comuns

Halloween em “Abracadabra”

Comemorado em 31 de outubro, o Dia das Bruxas é uma festa bastante popular nos EUA e em outros países de língua inglesa. Acredita-se que tenha origem pagã e fora ajustada à fé cristã: as festividades celtas celebrando a fartura das colheitas teria sido adaptada para convergir com o Dia de Todos os Santos. Era costume que se esculpissem alimentos como abóboras em lanternas (chamadas de hallows, “vazias”) para celebrar os deuses da colheita e fartura, mas agora elas serviriam para afastar os maus espíritos durante a vigília cristã.  O nome Halloween vem justamente da contração de “All Hallow’s Eve”, ou “véspera do vazio” em tradução literal.

As bruxas e o Halloween

Abracadabra é quase um clássico do gênero e demonstra bem como o feriado é comemorado hoje em dia: crianças se vestem em fantasias (o objetivo original era se esconder dos maus espíritos que estariam à solta nesse dia) e saem pela vizinhança pedindo doces – se não são atendidas, aprontam alguma coisa em paga. No longa, 3 bruxas voltam à vida em uma época muito diferente e tem que se adaptar às modernidades e à falta de medo que causam nas pessoas. Divertido e despretensioso, é uma boa pipoca e um bom exemplo de como os americanos comemoram a data. As bruxas, aliás, são comumente relacionadas à festa por terem sido as grandes culpadas por todo o mal do mundo durante a Idade Média – época em que a celebração tomou a forma como a vemos hoje.

*Bônus 1: o Festival das Cores e o clipe da banda Coldplay

A banda britânica Coldplay é conhecida por seus hits chiclete e seus shows extremamente performáticos. Pessoalmente, não sou fã dos caras (sorry!), mas não dá pra negar que a fórmula faz sucesso. Nesse HYMN for the weekend, eles se juntaram à cantora Beyonce e criaram quase uma fábula: um vídeo onde a música funciona como um mantra para a felicidade, onde Beyonce é uma alegoria à uma deusa da primavera e os integrantes da banda passeiam pela cidade indianas brincando com o banho de cores típico do Holi, o Festival das Cores.

*Bônus 2: Yi Peng

Existem dois festivais na Tailândia que acontecem durante o mês de novembro, no último mês do ano lunar tailandês, e tem semelhanças e diferenças: o Loi Kratong (o Festival das Luzes) e o Yi Peng (Festival das Lanternas). Loi Kratong é uma celebração budista onde os fiéis depositam velas em pequenas embarcações (geralmente imitando a flor de lótus) com oferendas a Buda e as observam seguir pela água corrente enquanto agradecem bênçãos e pedem sorte. Mas é o outro festival que é mais conhecido e que foi lembrado no cinema.

Uma das cenas mais bonitas de todos os filmes Disney homenageia o Festival das Lanternas

Yi Peng é o Festival das Lanternas, mais localizado na cidade de Chiang Mai, onde se acende uma lanterna de papel e a deixa voar, desejando que esta leve com ela todos os problemas que lhe atormentam (esse espetáculo está, com certeza, na minha lista pessoal de “coisas para fazer antes de morrer”!). No cinema, o festival ganhou uma homenagem: o longa Enrolados, da Disney, conta a história de Rapunzel de uma forma divertida e emocionante – e um dos objetivos da princesa é ver de perto o espetáculo das “luzes flutuantes” como ela chama. Uma das mais belas canções temáticas do estúdio é a trilha para a belíssima e emocionante cena.

A lista é pequena e tem festas para todos os gostos. Então, se chegar na Quarta-Feira de Cinzas e quiser dar uma relaxada – mas ainda quiser curtir uma folia – é só pegar uma das nossas dicas e aproveitar a folia do sofá!

Leia também


About Geisy Almeida

Formada em Fotografia, fã de boas estórias que sejam bem contadas - não importa se em forma de livro, filme, novela ou bate-papo. Curiosa e interessada em muitos assuntos, às vezes viajo na maionese.