6 atrações para conhecer em Poços de Caldas


Você já caiu de paraquedas em um roteiro turístico? Não estou falando da prática esportiva, mas de embarcar em uma viagem de última hora, sem conhecer o itinerário e sem planejar nada. Pois foi assim que eu fui parar em Poços de Caldas, Minas Gerais. Embarcando em uma excursão para acompanhar uma tia, com um dia de programações planejadas e outro livre, colecionei uma série de “o que fazer, e o que não fazer, e o que faltou fazer” na cidade mineira. Vem descobrir a parte boa da viagem surpresa!

1 – Cachoeira Véu das Noivas

Parece até uma regra: se você está em uma região com cachoeiras, ao menos uma delas vai se chamar Véu de Noiva, ou alguma variação deste nome. Aqui não foi diferente… A parte chata é que, infelizmente, não é possível se banhar na Véu das Noivas de Poços de Caldas por motivos de segurança – mas a queda d’água rende belos cliques.

Cachoeira Véu das Noivas - Poços de Caldas

Cachoeira Véu das Noivas

São três quedas d’água; a maior tem dez metros de altura e a infraestrutura para turistas conta com mirante para fotos, um trenzinho que percorre a paisagem e uma área com barracas de artesanato. Aliás, isso é uma constante na cidade – tudo tem uma lojinha. Se por um lado fica fácil encontrar uma lembrancinha, em algumas atrações fiquei com a se sensação de que são apenas comercio disfarçado (mas isso é assunto para outro post). O ponto fraco fica por conta da acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida: é inexistente, mesmo nas áreas do mirante e de comércio. Uma pena.

2 – Cristo Redentor

Situado no alto da Serra de São Domingos, é possível chegar até o Cristo por carro, trilha ou teleférico. Fique com as duas últimas opções se quiser tirar fotos do monumento em si – o que você deve fazer ainda no caminho para lá, uma vez que, aos pés da estátua, não há distância para tirar fotos do monumento (a não ser de costas). Para compensar, a vista da cidade é deslumbrante, e a sensação de que você é pequenininho perto da estátua também impressiona. Lá no alto também há rampa de voo livre e local de prática de parapente.

Cristo Redentor - Poços de Caldas

Cristo Redentor e a vista da cidade

A estátua, construída em 1958, tem 16 metros de altura, cerca de 500 toneladas e está situada à 1686 m de altura. Atração é gratuita, mas o passeio de teleférico é pago: o percurso só de ida custa R$15 por pessoa, enquanto ida e volta custa R$25.

3 – Pedra Balão

Também no Parque Municipal da Serra de São Domingos está a Pedra Balão. Na verdade, não é só uma pedra, mas um conjunto de grandes pedras que chegam até dez metros de altura. Excelente para quem procura uma “aventura moderada”. É divertido subir nas pedras grandes e pequenas: a maior, que dá nome a atração, se assemelha a um dirigível e pode até causar frio na barriga dos novatos. Inclua aqui belas fotos e uma vista de tirar o fôlego.

Pedra Balão - Poços de Caldas

A Pedra Balão é aquela cheia de gente ao fundo, tem até escadinha para ajudar a subir.

4 – Fonte dos Amores

O atrativo principal da Fonte dos Amores é uma estátua em mármore, de Giulio Starace, situada em uma queda d’água que retrata um casal de amantes abraçados. A graça, no entanto, é percorrer os caminhos e trilhas que levam até a estátua. – inclusive é de lá que sai a trilha que liga a cidade ao Cristo Redentor.

Fonte dos Amores, Poços de Caldas

A bela Fonte dos Amores e sua famosa estátua, implorando por melhor conservação

O ponto negativo aqui é que o parque tem várias construções e grutas abandonadas e interditadas. De fato, a aparência é de má conservação – por causa disso a atração quase ficou de fora desta lista, o que seria uma pena. Foi a natureza, deslumbrante apesar dos maus tratos do homem, que garantiu essa vaga. Cuidado com os macacos que vivem na região, e rondam a lojinha  para ganhar guloseimas – podem parecer fofos, mas a briga por território e comida pode acontecer a qualquer momento. Como é de praxe, não os alimente (nem a nenhum animal selvagem em seus passeios, especialmente se for com alimentos industrializados).

5 – Cascata das Antas

Para chegar à Cascata, que fica próxima a uma represa, você precisa caminhar por um bosque composto por diferentes tipos de árvores, devidamente identificadas por plaquinhas. Uma vez lá, você pode admirar a queda d’água de 50 metros de altura e visitar as ruínas da antiga hidrelétrica – esta não deu tempo de ver, eu estava de excursão lembra? É uma região bastante bonita, perfeita para o descanso e a contemplação das belezas naturais (além de incrementar o álbum com boas fotos). Se você quer algo mais agitado, não vai encontrar muitas opções aqui .

Cascata das Antas, Poços de Caldas

Cascata das Antas, não é permitido entrar na área da cachoeira, mas o pessoal não respeita

6 – Centro da cidade

Existem opções de citytour (passeios turísticos pela cidade),  além de passeios de charrete e trenzinho, mas resolvemos andar pelo centro da cidade à pé mesmo – sem compromisso, mapa ou itinerário. Nosso hotel ficava bem na região central, e pelo cronograma tínhamos uma manhã e um fim de tarde livres. Assim, sem guia, “esbarramos” em algumas muitas atrações.

Começamos pela Praça Pedro Sanches, cheia de estátuas, com um característico coreto. É ali onde fica o Palace Hotel. Inaugurado em 1929, recebeu personalidades históricas durante a Velha República e o Estado Novo, que visitavam o cassino e as termas da cidade.

Praça Pedro Sanches, Palace Hotel e o pessoal curtindo a “vibe” de cidade do interior

E já que estamos falando em Termas, andamos mais um pouquinho e chegamos às Thermas Antônio Carlos, que é simplesmente o primeiro estabelecimento termal do Brasil. O prédio é lindo, e quem estiver disposto pode aproveitar ali mesmo os benefícios das águas. Ao lado fica o Calendário Floral, que marca a data e a estação do ano com atualização diária.

Depois chegamos ao meu atrativo favorito: o Xadrez Gigante. É exatamente o que o nome diz, um tabuleiro de xadrez pintado no chão, com enormes peças de plástico para quem quiser encarar uma partida. Ali perto está a Antiga Estação de Trem que também é Centro de Informações Turísticas (e que estava devidamente aberto em plena manhã de domingo).

Xadrez Gigante, Poços de Caldas

Xadrez Gigante: quero um no meu quintal! A construção amarela ao fundo é a antiga estação de trens.

Avistamos de longe o Museu Histórico e Geográfico e fizemos aquele clique obrigatório no Relógio Floral. Também passamos um tempo andando pelo Parque José Affonso Junqueira, com jardins bem cuidados com fontes e construções ornamentais, e o prédio do antigo cassino, que hoje funciona como um espaço para eventos.

Depois de “ziguezaguear” pela região, a sensação que ficou é de que o Centro da cidade é uma gigantesca praça, muito bem aproveitada por moradores e turistas. Mencionei que tinham famílias inteiras curtindo por lá?

Algumas considerações…

Como você pode notar, a grande maioria das atrações desta lista é gratuita. É o transporte até elas que você provavelmente vai precisar pagar, caso não esteja com carro próprio. A Cachoeira Véu das Noivas fazia parte do itinerário da excursão em que estávamos, mas as demais atrações nós conhecemos através de um pacote turístico adquirido posteriormente. Existem vários disponíveis nos hotéis, é só escolher o que se encaixe em seu bolso e seu perfil.

Relógio Flora, Poços de Caldas

Relógio Floral, clique obrigatório

Outro ponto a se mencionar é a falta de acessibilidade nas atrações. A não ser pelas praças, nenhuma outra atração está preparada para portadores de necessidades especiais. Triste, não é? Logo, se você tem algum tipo de dificuldade de locomoção, informe-se bastante antes de embarcar em qualquer passeio na cidade para saber se é possível completar o passeio.

Esta é uma lista das atrações que curti em Poços de Caldas em apenas um fim de semana. Mas faltou conhecer muita coisa, e algumas atrações não deixaram uma impressão tão legal. Quem sabe isso não renda outras listas? Por hora me conte, já conheceu a cidade? O que sugere fazer por lá?

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!