7 dicas curiosas para sua viagem ao Uruguai!


Torrando no sol da tarde no cartão postal da cidade!

Já contei praticamente todas as minhas aventuras em terras uruguaias aqui no blog. Entretanto, não poderia encerrar esta série sem um post com dicas úteis, ou no mínimo curiosas, para você que se animou em conhecer nosso vizinho. Vale lembrar, estas são as minhas dicas. Coisas curiosas que percebi no caminho, e/ou que gostaria que alguém tivesse me contado antes de eu ir para lá. Nem em sonho vou tentar fazer um guia definitivo, até porque isso é impossível. Então, vamos lá!

1- Impressionando na chegada – Nada contra outros meios de transporte, mas um jeito de começar com o pé direito é ir de avião. Por quê? Porque o Aeroporto Internacional de Carrasco revitalizado em 2009 não é apenas moderno: é lindo! Plataformas de vidro, jardim interno em exposição… Vale gastar alguns minutos “turistando” no aeroporto (tire fotos mesmo!). Se é verdade que a primeira impressão é a que fica, os uruguaios estão impressionando muita gente.

2 – O clima – apesar de ter atrações para o ano todo, a alta temporada de turismo no Uruguai é no verão por causa das praias. Você provavelmente vai ler por aí que o verão deles é mais ameno que o nosso. NÃO CAIA NESSA! Ok, talvez eles tenham manhãs e tardes mais frescas, mas se você vai andar no sol ao meio-dia, em janeiro, no hemisfério sul… Tenha em mente vai estar muito calor! Quando visitamos Punta Del Este mal conseguimos chegar no famoso monumento Los Dedos por causa da temperatura da areia, mesmo usando calçados. Já em Colônia Del Sacramento nos rendemos e compramos chapéus – até porque eram uma graça!

Em outras palavras, a amplitude térmica é grande. De manhã a temperatura é ótima, mas durante o dia esquenta bastante. Se você é friorenta como eu, a dica é: roupas frescas acompanhadas de casaquinho leve para as manhãs de temperatura amena (e os lugares com ar condicionado) chapéu, óculos de sol, protetor solar e garrafinha d’água para o resto do dia – especialmente em longas caminhadas.

Museu? Galeria de Arte? Não, é “apenas” o saguão do aeroporto mesmo

3 – E por falar no dia, ele é mais longo! – Tão ao sul do planeta nessa época do ano as noites são mais curtas. Não se espante se começar a escurecer lá pelas 21h. A vantagem? Dá para fazer muito mais coisas em um dia. A desvantagem? Se perder no horário. Quem vai lembrar de jantar e dormir com sol a pino? O resultado inevitavelmente é dormir pouco durante a viagem ou perder a hora em alguns dias. Eu fiquei com a primeira opção!

4 – Casas de câmbio da 18 de Julho – para quem vai ficar em Montevidéu próximo à avenida 18 de Julho, a dica é ficar de olho nas casas de câmbio. A rua tem várias delas, e uma boa caminhada pode garantir preços melhores. Se você optar por não trocar todo o dinheiro de uma vez e for passear pela cidade, vale ficar lembrar desse endereço.

Ainda sobre dinheiro: muitos lugares turísticos aceitam dólares e reais, o que é uma mão-na-roda em uma emergência – e sempre uma alternativa, caso você não saiba quando vai ter tempo de voltar à casa de câmbio.

5 – Benefícios para turistas – informe-se sobre eles antes de sair de casa. No último dia, quando estávamos gastando nossos últimos pesos em uma sapataria descobrimos a existência do Tax Free, o reembolso da taxa para residentes sobre produtos comprados oferecido à turistas. É claro que, perguntando, não descobrimos como a burocracia funciona e não desfrutamos desta benfeitoria. Quando voltamos para casa descobrimos pelo site Brasileiros no Uruguai sobre este e outros benefícios. Não custa dar uma conferida!

Sandálias finas, areia quente, chapéu emprestado… Deu para disfarçar o calor durante o click?

6 – Gostinho de casa – O Uruguai fica coladinho no Brasil. Aliás, o Uruguai já foi Brasil! Hoje em dia, os uruguaios consomem nossos carros, nossa música, novelas e trocam mais um montão de coisas com a gente. Então não se espante ao se sentir estranhamente em casa em alguns momentos. A identificação mais evidente para nós viciadas em cultura pop foi com a música e as novelas: nossas produções estavam por toda a parte. Mas, a não ser pelo idioma e por serem um pouquinho mais comportados que nós, a familiaridade é grande.

7 – O café da manhã nos hotéis – talvez a informação mais curiosa que tivemos foi em relação ao desjejum – e não tem nada a ver com o fato dos hábitos alimentares de nossos hermanos serem um pouquinho diferentes dos nossos (muitas carnes quentes estavam no cardápio de nosso hotel, por exemplo). Conversando com outros turistas nas excursões que compramos, descobrimos que muitos estavam decepcionados com a primeira refeição que os hotéis ofereceriam.

Quando pensamos em café da manhã em hotéis, nós, brasileiros, sempre imaginamos mesa farta: muitas opções, sucos, frutas, frios, cereais… Mas, segundo nossa guia, nos hotéis por lá essa fartura não era uma regra. A maioria oferecia a refeição, mas uma versão muito mais simples. Aparentemente demos sorte – muita sorte, considerando que nosso hotel só servia o café da manhã (pois a cozinha estava em reformas). Então, fica a dica: se gosta de uma primeira refeição cheia de variedade, pesquise bastante antes de reservar o hotel.

Visite o Uruguai, eles nos recebem bem!

E com esta última sugestão nutritiva, chego ao final desta série de posts sobre o Uruguai. Isto é, até a próxima visita, pois motivos não faltam para voltar, não é mesmo? Por enquanto espero que as dicas sejam úteis e confiram os outros posts sobre o país para inspirar seus roteiros!

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!