As grande ressacas do cinema


Quarta-feira de Cinzas, acabou a festança e você provavelmente está de ressaca, seja ela tradicional ou emocional (acabou a folga, não estamos prontos!). Para te ajudar a superar este difícil retorno à realidade, selecionamos as melhores ressacas do cinema. Entretanto, como são muitas bebedeiras cinematográficas, nos dedicamos apenas àquelas que movimentam o filme.

Se Beber, Não Case!

A trilogia da bebedeira. O primeiro e melhor de todos os filmes começa logo após uma bebedeira épica em uma despedida de solteiro em Las Vegas. Os amigos Stu (Ed Helms), Phil (Bradley Cooper) e Alan (Zach Galifianakis) acordam em um quarto de hotel com um bebê no armário, um tigre no banheiro e uma viatura policial no lugar de sua Mercedes. Stu está sem um dente, mas o mais preocupante é que eles perderam o noivo Doug (Justin Bartha).

Todo o enredo se desenrola na busca por Doug e a descoberta do que aconteceu na noite anterior. Se Beber, Não Case! – Parte II segue a mesma fórmula, mas agora o noivo é Stu, e o grupo perde o irmão caçula da noiva em Bangcoc, capital da Tailândia.

Se Beber Não Case! – Parte III foge do tema ressaca: Phil, Stu, Alan e Doug tem de encarar as consequências das baboseiras que fizeram nos dois longas anteriores e acabam embarcando em um road movie.

As confusões continuam nas sequências de Se Beber, Não Case!

A Ressaca

Adam (John Cusack), Lou (Rob Corddry), Nicky (Craig Robinson) e Jacob (Clark Duke) acabam em uma banheira de hidromassagem de um resort de esqui após uma bebedeira. Inexplicavelmente, eles acordam em 1986, com a aparência que tinha na época – exceto Jacob, que não havia nascido.

É a oportunidade para o grupo apagar os erros do passado e criar um novo futuro. Mas, se você sabe como viagens no tempo funcionam, já deve imaginar que brincar com o passado não é uma boa ideia.

A Ressaca

Ligeiramente Grávidos 

Uma noitada em uma boate e muitos drinks depois, duas pessoas desconhecidas terminam bêbados em uma noite intensa e sem proteção. Na manhã seguinte, com ressaca o casal está certo de que nunca mais se verão novamente. Mas, não demora muito para Ben (Seth Rogen) e Alison (Katherine Heigl) se descobrirem grávidos e consequentemente em uma relação forçada.

É uma comédia romântica cheia de idas e vindas, algumas piadas escrachadas e um roteiro previsível. Mas entrega a diversão que promete.

Cara, Cadê Meu Carro?

Nem precisa estar embriagado (ou de ressaca) para esquecer onde estacionou o carro, especialmente em um grande estacionamento. Mas Jesse (Ashton Kutcher) e Chester (Seann William Scott), não esqueceram apenas onde está seu carro, mas tudo o que aconteceu na noite anterior durante uma festa de arromba. Junto com o veículo, perderam também os presentes de aniversário de suas namoradas gêmeas (Jennifer Garner e Marla Sokoloff).

Com muito a perder, a dupla resolve refazer os passos da noite anterior. E, claro, esbarram nas figuras e atuações mais bizarras neste besteirol estadunidense.

Jogo de Amor em Las Vegas

Aparentemente Ashton Kutcher não aprendeu nada no filme anterior, já que se meteu em outra roubada alcoólica dessa vez com Cameron Diaz. Jack Fuller e Joy McNally não se conhecem, mas ambos passaram por momentos difíceis e resolvem afogar as mágoas em Las Vegas. Depois de uma noite regada a bebida e jogatina acordam casados.

Tudo bem, já que eles podem anular o casamento logo de manhã, mas antes resolvem apostar uma última moeda no caça-níquel e ganham 3 milhões de dólares. Brigando pelo dinheiro durante o processo de anulação, recebem um castigo do juiz: devem passar seis meses vivendo juntos ou abrir mão do dinheiro que ficará bloqueado até que alguém desista ou o tempo acabe. É claro que a dupla tenta tornar a vida do outro um inferno antes de ajustar os ponteiros nessa mistura de besteirol com comédia romântica.

Eu Queria Ter a Sua Vida

Mitch (Ryan Reynolds) e Dave (Jason Bateman) são amigos improváveis. O primeiro, um mulherengo irresponsável e solitário; o segundo, um responsável e trabalhador pai de família. No fim de uma noite de bebedeira e insatisfação com suas vidas, a dupla resolve fazer xixi em uma fonte, que é mágica. Resultado? Acordam de ressaca e em corpos trocados.

Vivendo na pele um do outro, eles aprendem a dar valor à própria vida. Escatologia e piadas impróprias em um longa que tem a “cara de pau” – ou seria coragem? – de se assumir bobo, previsível e irresponsável.

A Garota do Trem

Rachel (Emily Blunt) é a tal “garota no trem”, na verdade uma mulher com dificuldades de superar o divórcio. Com problemas de alcoolismo e obcecada por um “casal perfeito” que ela observava constantemente pela janela do trem. Logo, ela se vê como principal suspeita de um crime, que ela não sabe se cometeu, devido à amnésia causada pela bebida.

Baseado no livro homônimo de Paula Hawkins, este thriller conta a história de mulheres fortes. E tem como mérito não ter vergonha ao abordar abuso doméstico, físico e psicológico.

Menção honrosa: Dumbo (1941)

Sim, o elefantinho que sabia voar da Disney merece entrar nesta lista. Afinal, ele descobre sua impressionante habilidade depois de uma bebedeira acidental. Dumbo e Timothy (o seu ratinho companheiro), não sabiam que a água havia sido batizada com uísque. Além disso, a embriaguez do filhote de elefante é responsável por uma das melhores cenas de alucinações já vistas na história do cinema. Tudo isso em um filme para crianças , que provavelmente não existiria em nossa era do “politicamente correto”!

Falta de memória, gravidez indesejada, casamento forçado, troca de corpos e crimes. Perto dessas ressacas, seu dia pós-folia vai parecer moleza. Então, escolha seus favoritos, faça sua maratona e esteja pronto para voltar à vida real!

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!