As trilhas sonoras de minhas viagens!


Cheiros, imagens, gostos, sons, várias sensações vêm à tona quando recordamos nossas viagens. E muitas vezes uma música inteira retorna à nossa mente quando admiramos aquele click de um passeio específico ou mesmo pensamos nas férias inteiras. O curioso é que muitas das vezes essa associação é criada de forma involuntária. Mesmo que você tenha uma playlist no seu bolso, nada garante que seja uma dessas músicas que vai marcar as memórias de seus melhores momentos. Eu mesma tenho uma lista para lá de esquisita de “trilha sonora de viagens”, confere só:

Apertando o play em 3,2…

Vamos começar pelas óbvias: sempre que penso na Expoflora, lembro de Amigos para Siempre e algumas músicas típicas holandesas – combinação estranha, né? Mas tem motivo. Os anfitriões da festa vêm da Holanda, e sua cultura está por toda parte inclusive nos vários shows musicais; já a música tema dos Jogos Olímpicos de 1992 em Barcelona toca sempre durante a atração principal do evento, a Chuva de Pétalas. Ok, aposto que muita gente faz essa relação afetiva – “bora” passar para coisas menos óbvias?

Confira aqui o vídeo da Chuva de Pétalas de quando fomos na Expoflora, com direito a trilha sonora e tudo!

Toda vez que relembro minha viagem para o Uruguai penso em Vem Dançar Com Tudo, do Latino. Não ligou o nome à música? Oi, oi, oi! – Estou falando da música da abertura da novela Avenida Brasil. Calma, não sou louca, eu explico. Acontece que a novela estava em exibição no país vizinho na época da minha visita, e tinha inclusive horários de reprise. Não apenas a sua música tema, mas o ritmo Kuduro em geral tocava em todo lugar que íamos (inclua aí lojas e até ônibus).

A exceção dessa viagem fica por conta da Casa Pueblo. Lá estávamos nós, seis mulheres caminhando no topo do penhasco em direção a casa/museu/hotel/obra de arte, quanto uma toca uma estridente buzina e… PRE-PA-RA!!! Nem preciso dizer que além de uma escandalosa crise de riso coletiva no momento, toda vez que ouço o hit de Anitta, o Show das Poderosas penso no ponto turístico uruguaio (além de ser impossível lembrar de lá sem associar à Anitta).

Protagonizando o show das poderosas em terras uruguaias!

Sim, sei o que você deve estar pensando: fui perseguida por música brasileira em território hermano. Lembra que eu falei que a associação é acidental e involuntária? Então, é o que temos.

Outro efeito curioso é ter músicas diferentes para um mesmo evento em anos diferentes. Comigo isso acontece com a Comic Com Experience. Hooked on a Feeling, do Blue Swede, é a trilha de Guardiões da Galáxia, e ouvi-la me transporta imediatamente para a primeira (e mais legal) edição do evento: a música tocava exaustivamente no auditório principal, que na época tinha DJ (coloca de volta CCXP, please!)

Todo mundo que foi na segunda edição em 2015 ainda deve ter What’s Up?, do 4 Non Blondes, zunindo nos ouvidos. A trilha de Sense8 era a favorita no badalado Karaokê do estande da Netflix. O show de calouros em pleno chão da feira continuou nas edições seguintes, mas em 2016 a memória musical ficou por conta no hino criado para o evento lançado naquele ano – e que tocou repetidamente em todos os lugares: filas, auditórios, banheiros… Você podia até não saber que era o hino, mas com certeza você ouviu!

Canta comigo: “And I say, hey yeah yeah, hey yeah yeah I said hey, what’s going on?…”

Agora com os roteiros adaptados, a referência musical alcançou outro nível: já que vamos para alguns lugares pensando nos filmes, novelas e séries gravados lá, a trilha sonora correspondente resolve tocar repetidamente estilo “música chiclete” em nossas cabeça enquanto andamos. Daí para cantarmos “Uma pirueta, duas piruetas. Bravo! Bravo!” alto e em público no Parque das Ruínas foi um pulo (mas isso é assunto para outro post).

Enquanto o próximo post musical não vem, dou a deixa para outros coleguinhas viajantes. Convoco o pessoal das páginas Tabula Rasa, Uma volta e meia, Viajo Amanhã, Trip Bruta e Vida de Mochileiro para “tocar” suas trilhas sonoras de viagem. Não deixem de visitar e conferir as playlists de cada um deles!

Ligações óbvias e automáticas, referências esquisitas e inesperadas ou mesmo que mudam de tempos em tempos: estas são algumas das minhas memórias musicais afetivas de viagem. E as suas quais são? Como foram formadas? Canta aí para gente!

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!