Bate e volta em Campos do Jordão vale a pena?


Não. Fim do post. – Brincadeirinha! – Mas a resposta é verdadeira. A cidade é sim um excelente destino turístico, mas não do tipo que se aproveita com pressa. Como cheguei a essa conclusão? Embarcando em um bate e volta eu mesma. Mergulhei de cabeça na primeira oportunidade que tive para conhecer a cidade, e descobrindo os prós e contras de visita-la dessa forma.

Vila Capivari, Campos do Jordão

Vila Capivari, centro turístico da cidade

Contras – Vamos eliminar a parte desagradável primeiro?

Um dia é pouco tempo
É claro, tem o problema tradicional de qualquer excursão, seguir os horários estipulados por terceiros. Ter pouco tempo para ver determinadas atrações, e tempo demais em outras que você não estava tão interessado. Ou ainda embarcar em uma maratona e não ter tempo de curtir nada direito.
Nada de fast-food, ou opções parecidas. Afinal, um lanche rápido é a melhor opção para quem tem pouco tempo, mas a cidade não está preparada para isso. Seus restaurantes e lanchonetes foram pensados para quem quer desacelerar e curtir a cidade, os preços também não são os mais amigáveis. Desse jeito as poucas opções mais em conta, e um pouco mais rápidas ficam lotadas e você perde um tempo precioso.

Campos do Jordão, Cacau-Show, Fábrica de Chocolate

Maquete de “chocolate” na fábrica. Dezenas de caixas de chocolate a venda ao fundo.

Falsas atrações
Você já deve ter esbarrado em algumas, são lojas disfarçadas de atrações cujo único objetivo é te fazer comprar. Um bom exemplo que vistamos nessa ocasião é a “Fábrica da Cacau-Show”, que até tem uma maquete – supostamente toda feita de chocolate – para admirarmos, mas produção de chocolate que é bom não vimos, mas saímos com enormes sacolas de bombons. Com pouco tempo para conhecer a cidade, e seguindo indicações de guias, é inevitável que você seja encaminhado para uma delas.

Trenzinhos
São na verdade automóveis decorados, que levam passageiros para citytours na cidade. Você conhece a maioria dos pontos de passagem, e aqueles em que pode descer tem pouco tempo para aproveitar. Mas o contra nem é isso, mas o estado do veículo em si, apertado, superlotado e malconservado. Fique com esta imagem que vale mais que qualquer descrição que eu possa dar.

Trenzinho, Campos do Jordão,

Aperto e remendos no trenzinho turístico

Prós – Agora que já deixei a parte ruim de lado, vou me redimir com as boas atrações que consegui conhecer neste dia corrido.

Ducha de Prata
É uma reunião de quedas d’água, que pode ser admirada de vários ângulos graças a passarelas, caminhos e trilhas construídas pelo homem. A molecada é quem mais se diverte correndo por todos os cantos. Os grandinhos vão gostar é de fazer os cliques mais inusitados. Também é possível praticar arborismo perto das copas das araucárias – chique né! -, e claro tem lojinhas com souverirs, artesanatos, chocolates, malhas e outros item tradicionais da cidade. A vista às quedas é gratuita, o arborismo é pago.

Ducha de Prata, Campos do Jordão, Arborismo,

Natureza e intervenção humana em harmonia na Ducha de Prata

Pico do Itapeva
Não é uma atração gratuita, mas os R$10 por pessoa (idosos e estudantes pagam meia), mais os R$20 reais por veículo, são justificados pelo bem cuidado e gigantesco mirante. Lá em cima, um castelinho com uma lanchonete e espaço para relaxar. Lá em cima é possível avistar as montanhas da Serra da Mantiqueira, as cidades do Vale do Paraíba, e dizem que em dias de boa visibilidade até cúpula da Basílica de Nossa Senhora Aparecida. Acho que a visibilidade não estava tão boa quando passamos por lá, mas o visual é deslumbrante mesmo assim.
Além disso ficamos encantadas foi com o próprio mirante cercado por um jardim de lavandas francesas, com mais de duas mil mudas em flor. Outras atividades pagas na atração são passeios cavalo e de Mountain Bike.

Pico do Itapeva, Jardim de Lavandas, Campos do Jordão, Mirante

Jardim de Lavandas, melhor surpresa do Pico do Itapeva

O centro da cidade e suas atrações
Caminhar pelo centro turístico da cidade, na Vila Capivari, é um charme só, com suas construções de arquitetura europeia, muitas lojas e restaurantes. Foi lá que passeamos “a esmo” no pouco tempo livre que tivemos. É lá que fica o Parque Capivari, de onde sai o trenzinho turístico (o de verdade, em linha férrea), e onde fica o teleférico para o Morro do Elefante. Este último vale mencionar, são do tipo de cadeirinhas individuais suspensas, então não dá para fazer o passeio com crianças pequenas.

E aqui encerram as atrações que consegui aproveitar em um dia corrido em Campos do Jordão. Balanço do bate e volta? Conhecer a cidade assim não vale a pena, na minha humilde opinião. Além de termos deixado muitas atrações de fora, as poucas que conhecemos mereciam mais tempo de apreciação. Um fim de semana por lá, no mínimo, é o que recomendo. É claro, se um bate e volta, é a única opção para você, não desperdice. Repita o passeio várias vezes, até conhecer tudo, ou faça como eu e use a falta de tempo, como pretexto para planejar uma temporada maior na cidade.

Confira mais imagens de Campos do Jordão em nosso Instagram

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!