Catedral da Sé, em São Paulo: uma visita diferente


Quem já leu meus posts por aqui já deve ter reparado que eu gosto de visitar museus e igrejas. Então eu não poderia deixar de visitar São Paulo sem conhecer a famosa – e belíssima – Catedral Metropolitana de São Paulo (também conhecida como Catedral da Sé), não é? Mas dessa vez minha visita não foi tradicional: eu tinha um objetivo bem claro em mente: queria visitar a cripta da catedral! Parece sinistro? Nem foi…

Um pouquinho de história

Estátua Apóstolo Paulo, Catedral da Sé - São Paulo/SP

Estátua do Apóstolo Paulo bem em frente à linda e grandiosa fachada da Catedral da Sé

Inaugurada em 1954 ainda inacabada (só foi concluída em 1967), a imponente construção foi erguida no mesmo local onde em 1859 foi erguida a antiga Igreja Matriz da então vila de São Paulo de Piratininga. Aliás, foi essa igreja que se tornou diocese de São Paulo, já no século 18, e mesmo depois da demolição da antiga igreja e demorada construção da nova catedral, ela ainda é o centro da fé católica na cidade. O estilo neogótico é predominante nesta construção de estilo eclético: com suas torres sineiras gêmeas, vitrais por todo o lado, o ar austero e sóbrio que o teto altíssimo e sustentado por lindos arcos e colunas foram claramente inspirados no popular medieval europeu. O conjunto da igreja com a Praça da Sé, bem ali ao lado, foi tombado como Patrimônio Nacional.

Como chegar

O jeito mais fácil de chegar lá é de metrô: com uma enorme estação, que interliga várias linhas e dá acesso a várias regiões da cidade, basta saltar ali para dar de cara com a praça e a igreja. Algumas linhas de ônibus que circulam pelo Centro também passam por ali. Como eu já estava em outro lugar no Centro, acabei indo à pé. No caminho até lá, ainda passei pela estátua do Padre José de Anchieta e pelo Marco Zero da cidade – todos dispostos na subida para as escadarias da igreja. Você leu certo: tem uma pequena ladeira antes de finalmente chegar à entrada, mas nada muito desgastante. A Praça da Sé fica ao lado esquerdo de quem olha diretamente para a catedral, e tem algumas cascatas e muitos transeuntes (e no dia em que fui, particularmente, muitos moradores de rua). Nada que impeça de dar uma voltinha por lá: tem até uma feirinha de artesanatos por ali, mas a grande atração é mesmo a enorme catedral.

A visita

Interior da Catedral da Sé, São Paulo/SP

A procissão para comemorar o dia de N. Sra. de Guadalupe dentro da catedral

Na visita, tive uma grata surpresa: representantes dos imigrantes latinos residentes em São Paulo se organizavam para uma celebração em homenagem a N. Sra. De Guadalupe, padroeira dos mexicanos e da América Latina. Era o dia dela, 12 de Dezembro, e cheguei um pouquinho antes do início da missa. A procissão tinha homens e mulheres empunhando bandeiras de seus países e um grupo de mariachis (músicos tradicionais mexicanos, com sombrero e tudo) cantando um hino em espanhol. Emocionante foi pouco!  Como “turistar” pela igreja seria, no mínimo, desrespeitoso, fui atrás de outra atração que poderia fazer sem atrapalhar a celebração.

Já tinha ouvido falar de uma visita à cripta da catedral (um lugar geralmente fechado ao público em outras igrejas e catedrais, mas que na Sé está aberto à visitação desde 2016) – e foi isso que quis conferir. Descobri que existem dois tipos de visita guiada que a gente pode fazer e que servem para matar a curiosidade de conhecer uma estrutura tao monumental por dentro (e pelo meu cronograma, infelizmente, só pude fazer um #chorei).

Brunch na Catedral – um tour completo

Foi esse o evento que perdi. Como visitei São Paulo para CCXP 2017 (tem mais sobre a convenção aqui no blog), as datas acabaram batendo.  E como o tour só ocorre aos segundos domingos de cada mês e não dava para esticar o cronograma, foi com dor no coração que tive que deixar essa visita pra próxima (afinal, os ingressos – e a ansiedade – estavam comigo desde o primeiro semestre!). Mas o evento parece valer muito a pena: após uma missa, os convidados para o evento participam de um brunch (um café da manhã bem gordo, quase a substituir um almoço) e depois seguem com os guias para visitar as torres, o órgão da igreja (o maior da América Latina), o coro, a cúpula e os sinos. Na próxima oportunidade de ir à São Paulo, eu não deixarei de participar – e compartilho os detalhes depois com vocês.

A cripta

Atrás das escadas estão os túmulos do Cacique Tibiriçá e do Regente Feijó

Nada de assombrações ou coisas amedrontadoras por aqui: é quase como uma pequena (e muito bem iluminada, diga-se) capela com 7 metros de altura entre o teto e o chão, uma entrada triunfal com a escadaria de mármore, belas colunas de granito sustentando o teto em arcos góticos…  É linda e surpreendentemente aconchegante para um lugar designado a receber os restos mortais dos líderes da igreja (e outras figuras importantes para São Paulo, como o Cacique Tibiriçá, que ajudou na fundação do Estado de São Paulo, e o Regente Feijó, que governou o país durante o Império).

Cripta da Catedral da Sé, Sâo Paulo/SP

Uma cripta que mais parece um museu: tinha até uma exposição sobre o Santo Sudário lá embaixo

A visita ocorre todo dia, em horários específicos. Grupos maiores devem agendar a visita, mas se estiver passando por ali e quiser dar uma espiadinha… Nem precisa agendar! Rápida, dura mais ou menos 30 minutos. Eu fui perto da hora do almoço, e comigo, só tinham as outras duas outras integrantes do blog. Ou seja, não costuma lotar – a não ser que um grupo grande tenha agendado para aquele mesmo dia. Ainda assim, vale a pena. São várias personalidades ali enterradas, e os guias tem muitas informações interessantes sobre eles. É permitido fotografar, e eles costumam deixar um tempinho para o grupo aproveitar o cenário. Mas lembre-se: não deixa de ser uma igreja, e um local de respeito à memória dos que já partiram.

 

Ao sair da cripta, a celebração ainda continuava. Como não podia esperar ela terminar para fazer um tour mais detalhado, apenas circulei pela nave central e fotografei alguns detalhes que mais gostei. Ficou a vontade de repetir o passeio, dessa vez com mais tranquilidade – e, de preferência, fazendo o passeio completo.

O altar principal e, ao fundo, no cantinho, o enorme órgão: preciso voltar e conhecê-los melhor!

 

Visita guiada à cripta
Permite visitação apenas à cripta abaixo do altar central. Funcionamento: Seg a Sex, das 9h às 11h30 e das 13h às 16h30; Sáb, Dom e Feriados, das 9h às 11h30 e das 13h às 15h.
Ingresso: R$ 7,00
Agendamentos para grupos: no dia, na Secretaria da Igreja (ao lado esquerdo do Altar Principal), pelo telefone (11) 3107-6832 ou através do e-mail contato@catedraldase.org.br.
Brunch na Catedral
Todo 2° Domingo do mês. Início do evento após a missa das 11h. As vagas são limitadas e os convites podem ser adquiridos pelo site  ou diretamente na secretaria da Catedral. Convites podem ser adquiridos na Secretaria da Catedral, por e-mail ou telefone.

Leia também


About Geisy Almeida

Formada em Fotografia, fã de boas estórias que sejam bem contadas - não importa se em forma de livro, filme, novela ou bate-papo. Curiosa e interessada em muitos assuntos, às vezes viajo na maionese.