Coisa de novela: 3 atrações de 3 cidades mineiras que servirão de cenário para a novela Espelho da Vida


Se você ainda precisava de alguma desculpa para visitar as cidades históricas mineiras, fique sabendo que Mariana, Tiradentes e Ouro Preto são parte do cenário da nova novela das 18h da Rede Globo, Espelho da Vida. As três representam partes da fictícia cidade de Rosa Branca, cidade natal do protagonista Alain (João Vicente de Castro) e onde a mocinha Cris (Vitória Strada) vai ter um reencontro com sua vida passada. Diferente de outras produções da emissora, essa história terá suas cenas externas (fora dos estúdios) inteiramente gravadas em locação – ou, ao menos, é essa a intenção. Ou seja, até o fim das gravações, quem for visitar as cidades pode acabar esbarrando com a produção.

Cena da novela "Espelho da Vida"

Cris, personagem de Vitória Strada, pelas ruas da fictícia Rosa Branca – cena gravada em Tiradentes/MG

E como essas cidades são inspiradoras! Eu tive a oportunidade de visitar algumas das cidades lá em 2010 (e ainda não consegui voltar, snif!) com um grupo de excursão bem específico: na época, eu estudava para ser Guia de Turismo; então o “intensivão” de igrejas, monumentos, História das cidades e do país foi frenético. Mal tive tempo para realmente desfrutar das cidades, de tão cansada que fiquei – porém, esse é um dos destinos que sempre tenho em mente quando penso em curtir um feriadão. Como, porém, ainda não refiz o roteiro, vou me ater a pincelar os lugares inesquecíveis que visitei. 😉

Então se correr atrás dos famosos não faz o seu perfil, não tem problema: não precisa desistir do seu plano de conhecer essas lindas cidades mineiras. Preparei uma lista com 3 lugares interessantes em cada uma delas que são imperdíveis – a qualquer dia e ano.

Mariana

Primeira capital de Minas Gerais, é uma das mais importantes cidades do Circuito do Ouro (o conjunto de cidades históricas onde os desbravadores descobriram as primeiras jazidas de ouro). Diferente do que a maioria pensa, o Centro Histórico de Mariana não foi destruído no desastre ambiental de 2015, quando uma barragem de resíduos da mineradora Samarco se rompeu – infelizmente, os municípios de Bento Rodrigues e Paracatu foram total ou parcialmente destruídos na tragédia.

Basílica de N. Sra. da Assunção, Mariana/MG

Fachada simples, interior luxuoso: Catedral da Sé, Mariana/MG

  • Basílica de N. Sra. da Assunção ou Catedral da Sé – no estilo Barroco, foi adaptada para a chegada de um bispo na época em que a região foi alçada ao posto de cidade. O exterior modesto esconde um interior riquíssimo, com 11 altares (dois deles com obras do Mestre Aleijadinho), lustres de cristal tcheco e um órgão do século 18. A entrada custa R$5 reais, e dá direito à visitação à próxima atração sugerida.
  • Museu Arquidiocesano de Arte Sacra – atrás da igreja, um casarão colonial em estilo Rococó que abriga um museu dedicado ao período de ouro da produção de arte sacra em Minas Gerais, com esculturas, pinturas e outros objetos cerimoniais e/ou produzidos com pedra-sabão por mestres como Aleijadinho, Manoel da Costa Atahyde e Francisco Xavier de Brito.

Para mais informações do Museu de Arte Sacra, acesse o site oficial aqui.

  • Praça Minas Gerais – aqui temos um caso de leve 3, pague 1. Na verdade, são 4 monumentos históricos em um só lugar. De um lado da praça, fica o prédio da Câmara e Cadeia, onde hoje se encontra a Prefeitura da cidade. Ali já foi uma fundição de ouro e uma senzala – o que nos leva a um outro monumento, bem em frente ao prédio. Um pelourinho, onde os negros escravizados que se rebelavam eram presos e torturados como punição. O mais intrigante, porém, é que as ações aconteciam em frente a duas igrejas: as poderosas, ricas e rivais irmandades de S. Fco. de Assis e de N. Sra. do Carmo disputavam influência e construíram suas belíssimas e grandiosas igrejas uma ao lado da outra (praticamente afrontando

Para mais informações turísticas e históricas da cidade, acesse o site oficial de Mariana aqui.

Tiradentes

O ótimo estado de conservação das ruas e da arquitetura colonial da cidade, tombada pelo IPHAN, já fez com que a cidade fosse escolhida como cenário para outra trama em 2002: Coração de Estudante, de Emanuel Jacobina, da mesma emissora. Tiradentes, que também sedia anualmente um prestigiado festival de cinema nacional, tem seu nome em homenagem ao inconfidente famoso – aliás, foi na Casa do Vigário que a própria Inconfidência foi tramada. Com tanta história para contar, ainda é possível encontrar bons restaurantes da tradicional culinária mineira e, claro, o passeio de Maria-Fumaça até a cidade vizinha de São João del-Rei (que eu comentei nesse post de experiência de viagem aqui).

Igreja de Sto. Antônio, Tiradentes/MG

A fachada da Igreja de Sto. Antônio foi desenhada por Mestre Aleijadinho – assim como o relógio de sol que fica na entrada

  • Igreja Matriz de Santo Antônio – ela fica na Rua da Câmara, e é facilmente identificável: no topo da ladeira, apresenta uma vista panorâmica da cidade e da Serra de São José. A fachada foi desenhada por Mestre Aleijadinho, que também esculpiu o lindo e icônico relógio de sol que fica na entrada da igreja. Lá dentro, o melhor do estilo Rococó – muita opulência e detalhes elaborados.
  • Chafariz de São José – até hoje em funcionamento (!), o chafariz foi construído em 1749 e estava destinado a servir a população da cidade (um destinado a humanos, outro a animais, e outro para lavagem das roupas), a bela construção tem elementos barrocos bem preservados. Ali perto fica o Bosque Mãe D’Água, de onde vem a água que abastece a fonte.
  • Rua Direita – como toda boa cidade antiga, havia uma importante Rua Direita. Aqui não é diferente, tendo muitos casarões históricos e importantes na mesma rua, como a Igreja N. Sra. do Rosário (uma das mais antigas da cidade, construída por negros escravizados e utilizada somente por eles – inclusive, há indícios fortes de sincretismo religioso), o Museu de Arte Sacra (que fica no prédio onde antes era a antiga Cadeia pública, distinguível pelas suas 17 janelas cerradas por pesadas barras de ferro) e Centro Cultural Yves Alves (um ativo centro cultural).

Para mais informações turísticas e históricas da cidade, acesse o site oficial de Tiradentes aqui.

Ouro Preto

Provavelmente a mais famosa cidade histórica de Minas, foi também a mais importante econômica e politicamente na época do Império. Não à toa era chamada de Vila Rica – suas minas de ouro eram as mais produtivas na época do Ciclo do Ouro. Conhecida como a cidade que é um “museu a céu aberto”, devido a quantidade de museus e igrejas históricas, escolher apenas 3 destaques foi difícil. Então, fiz logo 3 “combos”, com atrações tão interessantes e perto umas das outras. Prepare-se para uma peregrinação pelas muitas igrejas de lá –  e isso tudo subindo e descendo ladeira! Mas não desanime: Ouro Preto é um prato cheio para quem gosta de História, Arquitetura, artesanato (especialmente o trabalho com pedra-sabão) e até para quem curte carnaval – a cidade ferve no verão, com muitos blocos divertindo os foliões e turistas.

Museu da Inconfidência, Ouro Preto/MG

A antiga Casa de Câmara e Cadeia se transformou no Museu da Inconfidência

  • Museu da Inconfidência –  dedicado à memória do movimento separatista mineiro cujo maior representante foi Joaquim José da Silva Xavier (o Tiradentes), hoje ocupa 4 prédios com iniciativas educacionais e preservação da cultura mineira. O imponente prédio em estilo Barroco tardio chama a atenção e domina a paisagem da Praça Tiradentes. Ali há também um monumento em homenagem ao inconfidente, mas eu recomendo uma passagem no Museu de ciência e Técnica da Escola de Minas que fica exatamente do outro lado da larga praça. Dividido em várias alas, como Mineralogia, História Natural e Astronomia, é um ótimo passeio para quem gosta de aprender enquanto viaja (pena que seja tão pouco divulgado).
  • Igreja de N. Sra. do Carmo e Museu do Oratório – a igreja fica perto do Casa da Ópera (o mais antigo teatro municipal do Brasil, reaberto à visitação desde 2007), e ao lado do Museu do Oratório. Um ótimo exemplo do estilo Rococó, teve o projeto desenhado por Manuel Francisco Lisboa, que vem a ser pai de Mestre Aleijadinho – que também trabalhou me ornamentos para o prédio. O  Museu do Oratório
  • Circuito Museu de Aleijadinho – Para enaltecer a obra do grande escultor Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Mestre Aleijadinho, três igrejas formam um circuito que pode ser feito a pé e onde se pode admirar suas obras mais expressivas (fora os icônicos profetas de Congonhas, outra cidade histórica do Ciclo do Ouro que merece sua visita).  São elas: Igreja de N. Sra. das Mercês, N. Sra. da Conceição e São Francisco de Assis.

Para maiores informações sobre o Circuito Museu Aleijadinho, acesse o site oficial aqui.

Leia também


About Geisy Almeida

Formada em Fotografia, fã de boas estórias que sejam bem contadas - não importa se em forma de livro, filme, novela ou bate-papo. Curiosa e interessada em muitos assuntos, às vezes viajo na maionese.