Histórias de mulheres crescidas, é o que traz “A Garota no Trem”


Rachel (Emily Blunt) é a tal “garota no trem”. Na verdade, uma mulher com dificuldades de superar o divórcio, que pega o mesmo trem diariamente e no trajeto observa instantes da vida de um casal que imagina ser perfeito. Na casa vizinha, outra vida perfeita: a de seu ex-marido com a nova família. Megan (Haley Bennett, Letra e Música) e Anna (Rebecca Ferguson) são as outras duas mulheres em foco, respectivamente. Mas suas vidas não chegam nem perto da perfeição que Rachel imagina.

filme-a-garota-no-trem-1

Rachel (Emily Blunt), a garota mulher no trem

É uma mudança na rotina que tira a garota do trem e de sua ilusão voyeurista e a joga no meio destas vidas intrincadas. Inclua aqui um mistério, memórias distorcidas por alcoolismo, personagens pouco confiáveis, muitos segredos e um possível crime.

A Garota no Trem é na verdade um suspense que aborda o abuso doméstico e as imposições da sociedade sobre a mulher, especialmente em relação à maternidade. Baseado no livro homônimo de Paula Hawkins, o filme tenta emular a narrativa dividida em três pontos de vista, tornando o início um pouco arrastado, mas funcionando bem quando o mistério entra em cena e a narrativa se torna um thriller.

filme-a-garota-no-trem-2

Scott (Luke Evans) e Megan (Haley Bennett), o “casal perfeito”

O enredo policial, que, aliás, também é investigado por uma mulher (Allison Janney, Mom), é um tanto previsível. Problema contornado pelo bom trabalho do elenco feminino, especialmente Blunt, que abraça a figura de uma mulher perturbada, tentando entender o mundo distorcido pelo álcool. Já os personagens masculinos, interpretados por Luke Evans (Drácula – A História Nunca Contada) e Justin Theroux (The Leftovers), são figuras unilaterais que beiram a caricatura. Talvez por serem apresentados pelo ponto de vista de três mulheres perturbadas.

De qualquer forma, a abordagem é eficiente no que se propõe. Apontar um problema silencioso por trás das supostas “famílias perfeitas”. E talvez chamar ainda mais atenção que o original literário sobre o abuso doméstico, físico e psicológico. Ao mesmo tempo, o filme consegue intrigar mesmo o espectador que supõe o final, lá pelo meio da projeção. Como bônus, consegue surpreender ao não ter medo de mostrar violência.

filme a garota no trem

Tom (Justin Theroux), o ex-marido de Rachel, e Anna (Rebecca Ferguson), sua nova esposa

O elenco ainda conta com Lisa Kudrow (a Phoebe de Friends) e Laura Prepon (Orange is the New Black). A direção fica a cargo de Tate Taylor (Histórias Cruzadas), que pesa a mão um pouco nos closes e no foco sobre o trio de protagonistas. Não é ruim, mas observar um pouquinho mais sobre o mundo que as cerca talvez nos ajudasse a compreender ainda melhor as dificuldades destas “garotas”.

*Texto originalmente publicado em Ah! E por falar nisso…

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!