O Rio de John Legend: descobrindo a cidade pelo clipe


Você pode até não lembrar o nome da música nem conhecer o cantor, mas certamente já ouviu essa canção: We just don’t care (P.D.A.), hit de 2009 do cantor americano John Legend, estava em trilha de novela e tocou *até dizer chega* em todas as rádios do país.

Aqui vai o link pra refrescar a sua memória:

Vai levar tempo até ela sair de novo da sua cabeça, mas pelo menos é uma música gostosinha demais de se ouvir, né? Pois bem. Este post não existe apenas para influenciar seu gosto musical. O que você talvez não saiba é que ele foi rodado inteirinho aqui no Rio de Janeiro. Um casal de atores brasileiros faz parte do clipe, encarnando o amor inocente e despreocupado de que a música traz.

A preferência do cantor por não usar os pontos turísticos mais famosos, como o Cristo Redentor e a praia de Copacabana, por exemplo, pode até confundir quem não é da cidade. Mas cariocas saberão reconhecer vários dos pontos por onde ele passou. E nós fomos à caça desses lugares.

Hotel Glória

O cantor e a modelo que interpreta sua namorada no clipe saem do Hotel em clima de romance e vão descobrir a cidade. No fim, ele se encontra com o outro jovem casal brasileiro e pede uma ajuda para uma foto (fica mais difícil fazer uma selfie com uma câmera analógica né?)

Acho que tá faltando alguma coisa pra foto ficar igual…

Inaugurado em 1922, o Hotel Glória foi o primeiro prédio construído em concreto armado na América Latina e o primeiro hotel 5 estrelas do Brasil. No seu auge, recebeu importantes personalidades políticas e artistas internacionais, além de abrigar um teatro, um cassino e bailes de fantasia famosos pelo luxo e exclusividade. Fechado em 2000, degradou-se com o tempo. Em 2008, o empresário Eike Batista (à época, ainda um dos homens mais ricos do país) comprou o hotel para restaurá-lo e reinaugurá-lo para as Olimpíadas Rio 2016, mas redesenhos do projeto e a falência das empresas dele interromperam as obras em 2013 – e até agora não se sabe sobre o futuro do hotel. Ainda assim, é impressionante ver a estrutura inacabada e imaginar o quão grandioso ele foi – e poderá voltar a ser, embora seu futuro seja bastante incerto.

Lapa

Os Arcos da Lapa são, talvez, o ponto mais famoso do Rio retratado no clipe.

Os famosos arcos serviam de aqueduto para a cidade, e agora servem como um dos caminho para o bondinho, que liga o Centro ao bairro de Santa Teresa. Próximo ao centro comercial da cidade, da Catedral Metropolitana. Aqui é considerado o “fervo” da noite carioca.

Dica: várias casas de show e bares circundam a região, que não para suas atividades nem a altas horas da madrugada. Mas cuidado com o trânsito aqui: não há impedimento do tráfego para veículos, e pedestres acabam tendo que dividir espaço com carros, táxis e ônibus. Portanto, se decidir vir conhecer a noite na Lapa, atenção redobrada!

Praça XV

Ao fundo, o Paço Imperial

Depois de sair do hotel, o casal vem passear na Praça XV.

Perto do Paço Imperial, que já foi residência oficial da monarquia, dá para ver bem o Chafariz de Mestre Valentim (que ficava na saída do porto e servia água potável aos que chegavam, mas hoje é apenas decorativo) e até um pedaço da Avenida Perimetral – aquela que foi demolida para a construção da Boulevard Olímpica e cujos vigas desapareceram misteriosamente (e ninguém deu conta disso até hoje).

Dica: a região tem coisa à beça pra ver, e já listamos algumas delas aqui.

Na próxima a gente arranja um modelo bonito pra Fabiane filmar

Outro trecho do entorno é quando o casal namora em uma rua estreita, em uma mesinha de bar. Na mesma rua, ela posa para a câmera dele em frente a belas portas enquanto as pessoas passam por eles. Essa pequena rua é a Travessa do Comércio, que faz esquina com a Rua do Ouvidor (uma das mais famosas ruas do Centro). Nesse entorno, existem vários restaurantes muito frequentados no almoço e nas happy-hours.

Dica: o Samba da Ouvidor é um festival sazonal que oferta, vejam só, samba de roda nos bares da famosa rua. Vale a pena conferir o calendário e aproveitar boa comida e boa música.

Saara

Os pombinhos agora vão se divertir numa região de comércio muito famosa: a Saara. Entre sorrisos e filmagens, é fácil perceber  as ruas abarrotadas de lojas com todos os tipos de produto a preços populares.

Nota pessoal: precisamos mesmo arrumar modelos para nossas reinterpretações rs

O nome é, na verdade, uma sigla: Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega. Situada entre a Avenida Presidente Vargas e a Rua da Constituição (Praça Tiradentes), desde a Praça da República (Campo de Santana) até a Rua dos Andradas, abrange uma área bastante extensa e repleta de lojas como mais variado comércio. A maioria dos produtos é vendido a preço muito populares, fazem da região um verdadeiro formigueiro: durante todo o ano há movimento intenso, e ele tende a aumentar perto de festas comemorativas como Natal e Carnaval.

Dica: vá com roupas e sapatos confortáveis. Há muito o que se explorar nessa região, e muitas lojas oferecem produtos parecidos – o famoso “bater perna” para pechinchar é uma das atrações daqui. As ruas tendem a ser lotadas o dia todo, e sempre vai ter gente circulando com sacolas enormes. Exercite a paciência e, como sempre, fique de olho em seus pertences. Ah, e tente não extrapolar nas compras.

Dica 2: nem só de comércio vive a Saara. Várias igrejas centenárias estão na região, misturadas às entradas abarrotadas de produtos das lojas e escondidas em meio a alguns dos casarões – os poucos que ainda resistem aos maus tratos pelos anos e às reformas comerciais.

P.S.: preciso ressaltar o quanto acho lindo as tomadas em preto e branco (amor eterno, amor verdadeiro) quando querem representar o que foi filmado com a Super 8.

Morro da Conceição

O jovem casal brasileiro, que funciona como um espelho para o romance que o cantor vive na cidade, passeia de motocicleta pela região portuária e pelo Morro da Conceição, no bairro da Saúde.

Um dos quatro morros que formaram o berço onde o Rio nasceu (Conceição, Castelo, Santo Antônio e Bento), marco da colonização portuguesa na cidade, ainda mantém muitas casas com arquitetura tipicamente portuguesa e outras pérolas da história carioca. No clipe, aparecem a Rua do Escorrega (quando o casal passa de motocicleta), a pracinha em frente à Igreja de São Francisco da Prainha (que tem esse nome curioso por ter sido construída em frente à praia, que chegava até ali), o Beco São José e a rua Barão de São Francisco. Na rua Eduardo Janssen, onde se vê a escadaria com a bandeira do Brasil pintada que a gente vê na foto acima, ainda é possível vê-la do mesmo jeito.

Dica: além de conhecer um bom pedaço da nossa história, há também o tradicional restaurante Angu do Gomes no Largo de São Francisco da Prainha. Famoso por causa do prato, trazido pelos escravos africanos que ali aportavam e transformado em negócio por um português, o restaurante gaba-se de ter sido palco de encontro da boemia carioca – e de ter tido Tom Jobim, entre outros compositores e personalidades, entre seus mais ilustres fregueses.

Cenas rodadas no Largo de São Francisco da Prainha

Já comentei aqui no blog sobre artistas estrangeiros que fizeram clipes no Brasil, e todos eles mostravam locais conhecidos – especialmente praias. Além de curtir a música em si, eu achei superbacana o fato dele fugir do óbvio e vir contar uma estória de amor pelas ruas do Centro do Rio, tranquilo e feliz como se fosse em qualquer cidade europeia. Além do mais, tem a participação especial de uma super8 – se não conhece a câmera, é essa belezinha aí da foto: uma das primeiras câmeras de filmar portáteis, acessíveis e de fácil manuseio, era praticamente um brinquedo (e xodó de muito cinéfilo).

Como as locações foram em locais bastante acessíveis para cariocas e turistas, nós fomos lá conferir. Se organizar direitinho, dá para ver quase tudo num dia só. E o que nós queremos incentivar com isso? Um olhar diferenciado. Às vezes a rotina não nos deixa perceber o potencial do nosso canto, e a gente não valoriza o que tem. Que tal a gente começar a fazer isso agora?

Leia também


About Geisy Almeida

Formada em Fotografia, fã de boas estórias que sejam bem contadas - não importa se em forma de livro, filme, novela ou bate-papo. Curiosa e interessada em muitos assuntos, às vezes viajo na maionese.

  • Pingback: Percorrendo o Circuito Histórico e Arqueológico da Herança Africana – Roteiro Adaptado()

  • João Marcelo Souza

    Oi Geisy, parabéns pelo seu post tão detalhado. Achei que você fosse guia de turismo, tamanho o detalhe. Adorei o fato de você ter marcado os locais!
    Esse clipe foge do lugar comum e faz algumas referências à cultura brasileira que são poucos que conseguem pegar.
    Por exemplo, o cara que sai do táxi é Sérgio Mendes e o ator brasileiro interpretou o Buscapé, o fotógrafo em Cidade de Deus.

    • Geisy Almeida

      Oi João!

      Fico feliz que tenha gostado do post, foi feito com muito carinho. E foi por fugir do lugar comum que ele chamou minha atenção.

      Durante a pesquisa para a montagem do post, eu procurei informações sobre os atores brasileiros porém não achei nenhum lugar que confirmasse. Eu sabia que o conhecia de algum lugar! rs

      Obrigada por ter compartilhado conhecimento com a gente! Abraços! =D

  • Pingback: Igreja de N. Sra. da Lapa dos Mercadores: Uma pequena joia em pleno Centro do Rio de Janeiro – Roteiro Adaptado()