Parque de diversões da ficção, quais você frequentaria?


Westworld acaba de chegar ao final de sua primeira temporada (leia a crítica) e, além de muitos dilemas e conceitos de ficção científica, a série da HBO trouxe um modelo único de parque de diversões. A questão é: você teria coragem de passar umas férias por lá? Pensando nisso, resolvemos fazer uma lista dos melhores complexos de entretenimento da ficção e descobrir as vantagens e desvantagens de considerá-los para sua próxima viagem.

Westworld (Medieval World, Roman World, Samurai World, Futureworld)

Em sentido horário: Westworld, Roman World, Medieval World, Futureworld

Seja na versão do cinema ou da TV, os parques comandados pela Delos oferecem uma experiência única de imersão no universo que preferir. Se você é um sortudo cidadão do longa de 1973, pode visitar não apenas o mundo do Velho Oeste como também o mundo medieval e a Roma antiga. Já os visitantes de 2016, além de virarem cowboys, podem conhecer o Samurai World, cujos detalhes esperamos conhecer em 2018 (pois é, vai demorar!).

Imerso em outra realidade, você vai ter o prazer de usufruir a mais avançada tecnologia robótica ao interagir com os anfitriões, robôs extremamente realistas, que podem fazer praticamente tudo que um ser humano comum faz, exceto machucar os visitantes. Os altos padrões de qualidade da Delos garantem ou pelo menos deveriam sua segurança. Já o Futureworld é a versão reconstruída dos parques após um “pequeno” incidente ocorrido no filme de 1973.

Westworld versão 2016!

Para assistir: Westworld – Onde Ninguém Tem Alma (1973), Futureworld (no Brasil ganhou o título de Ano 2003 – Operação Terra – 1976), Westworld (série, 2016)

 

Walley World

Localizado na Califórnia, é o “parque de diversões favorito da família americana!”. Tem o alce Walley e seus amigos animais como mascotes, alem de incríveis brinquedos. Seu auge foi na década de 1980, mas ainda está em funcionamento e até gerou certa atenção em 2015.

É recomendado que fique atento a possíveis fechamentos para manutenção e reparos. Afinal, ninguém quer desperdiçar uma viagem e só descobrir o parque fechado quando já está lá. Ou pior, ficar preso de ponta-cabeça em uma montanha russa. Também recomendamos que evite longas viagens de carro em família até lá. Sério, vá de avião.

Para assistir: Férias Frustradas (1983), Férias Frustradas (2015).

 

Jurassic Park e Jurassic World

Um parque de diversões que não poupou despesas para trazer dinossauros de volta à vida. Situados na Ilha Nublar, próxima à Costa Rica, o Jurassic Park não foi tão bem-sucedido quanto esperado. Aparentemente, seu criador John Hammond poupou despesas apenas no salário dos funcionários e sofreu sabotagem por isso. Algumas pessoas saíram feridas, outras nunca saíram.

Mas tudo bem! Anos depois, o projeto foi retomado e o parque reaberto com um novo nome. Jurassic World é um sucesso de público, com todas as espécies de dinossauros conhecidas à disposição. De fato, para ter novas atrações os investidores estão apostando em híbridos e novas espécies criadas em laboratório. O que poderia dar errado?

Jurassic World e suas diversas atrações

Para assistir: Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros (1993), Jurassic Park 2 – O Mundo perdido (1997), Jurassic Park 3 (2001), Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (2015).

 

Austenland

Situado no Reino Unido, talvez esteja mais próximo de um resort de que um parque tradicional, mas assim como Westworld, oferece uma experiência de imersão total em outra era, mais especificamente a época onde se passam os romances de Jane Austen – que, convenhamos, são verdadeiros jogos de relacionamento. Indicado para fãs da autora, amantes da era georgiana e românticos incuráveis em geral.

Obviamente, tecnologia dos tempos atuais é proibida

Para assistir: Austenland (2014)

Adventureland

Admito que este parque não é exatamente uma grande atração. Aliás, é daqueles que só funciona no verão, tem sempre os mesmos brinquedos, os jogos são todos adulterados e os prêmios bem mixurucas. Mas se você era um jovem fracassado em 1987, este era o lugar perfeito para juntar uma grana nas férias de verão…

Errrh, na verdade, também não. Adventureland era um péssimo lugar para se trabalhar. Cheio de gente com problemas e um salário bem fraquinho. De fato, nem sei por que está nesta lista. Esquece, vai…

Para assistir: Adventureland (2009)

 

Pacific Playland

Um parque de diversões em Los Angeles, supostamente livre de zumbis, em plena Zumbilândia (o mundo pós-apocalipse zumbi). Carrossel, montanha-russa, queda livre, jogos, todo o pacote de um bom e tradicional parque de diversões. Vale a pena cruzar o país com desconhecidos fugindo de mortos-vivos para passar algumas horas de diversão.

Fica um alerta: não ligue todos os brinquedos ao mesmo tempo, as luzes e a música alta podem atrair visitantes desnecessários e estragar o passeio. É permitido portar armas de todos os tipos, mesmo quanto estiver nos brinquedos.

Para assistir: Zumbilândia (2009)

 

Ficou interessado em alguma das atrações? Infelizmente, precisamos informar que todos estes parques são fictícios, embora alguns tenham usado parques reais como locação ou inspiração (mas isso é assunto para outro post). Por hora, a recomendação para quem deseja visitar qualquer um destes complexos é: faça uma sessão com muita pipoca!

E aí, qual seu parque de diversões favorito? Lembrou de algum que não mencionamos? Comenta aí!

Leia também


About Fabiane Bastos

Jornalista especializada em cultura, viciada em filmes, séries e livros não necessariamente nesta ordem. Adoraria poder visitar os mundos que só conhecemos pelas páginas e telas, ou chegar o mais próximo disso possível!