Parque Nacional dos Lagos Plitvice, um oásis imperdível na Croácia


Parque Nacional dos Lagos Plitvice, na Croácia

Visitar o Parque Nacional dos Lagos Plitvice (Plitvička Jezera) foi um dos programas mais legais que fiz na Croácia este ano e recomendo fortemente a experiência. É de uma beleza tão grande que deixa a gente até meio atordoado. Eu nem sabia que existiam tantos tons de verde na natureza – e estão todos ali, ao mesmo tempo, lembrando a você que é por isso, inclusive, que vale fazer as malas e desbravar cada canto que puder desse mundinho.

Logo na entrada do parque você encontra umas sugestões de rotas que podem ser escolhidas de acordo com o tempo que você tem disponível. Acredite, o lugar é enorme. Dá para fazer vários percursos a pé, mas existem ônibus lá dentro que encurtam alguns trajetos e algumas travessias que podem ser feitas de barco. É preciso ter um pouco de paciência para conseguir lugar, principalmente nas embarcações. Se tiver tempo, comece pelos lagos superiores e deixe o melhor para o final: os lagos inferiores (se estiver com pressa, concentre-se neles, a vista compensa!).

Vá com roupas confortáveis e frescas (o visual é lindo, mas não é permitido tomar banho nos rios e cachoeiras) e leve garrafas de água para aguentar as trilhas até os postos de conveniência. Eu, que não tenho o menor senso de localização espacial e me perco até em shopping center, achei o lugar bastante seguro e bem sinalizado, com placas indicando as paradas e os meios de transporte por todo o caminho. Veja fotos desse deslumbre de lugar na galeria abaixo!

Placa indica uma das paradas dos barcos dentro do parque

Como conhecer o paraíso tem seu preço, aqui vai uma dica amiga: durma por lá, se puder. Sim, este é o típico post “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. Li essa dica em vários blogs enquanto planejava a viagem, mas considerei desnecessário. Primeiro motivo: faria uma viagem longa, com vários deslocamentos, e quis eliminar mais um pernoite da equação (check-in, check-out, a parte mais chata da logística). Decidi que faria minha base em Zadar, no litoral (também é possível partir de Zagreb, que ficou fora do meu roteiro), de onde era possível ir ao parque de ônibus.

Na teoria, tudo funciona bem, mas na prática passei por alguns perrengues que você não precisa repetir. Em cima da hora, decidi aceitar a sugestão da recepcionista do hostel e troquei meus planos de ir de ônibus por um tour fechado. O preço era mais ou menos o mesmo e achei que compensava pela praticidade – eu estava hospedada em Old Town e não precisaria me deslocar até a rodoviária. Acontece que o tour pega hóspedes de vários hostels, inclusive pelo caminho. E tantas paradas, somadas a um engarrafamento, fez com que só chegamos à entrada do parque ao meio-dia. E a previsão de retorno era às 16h!

Invejosos dirão que é montagem

Acha pouco? É porque eu não mencionei que a viagem foi em pleno verão, e havia uma interminável fila na entrada que durou cerca de uma hora e meia. Ou seja, na prática só tive duas horas e meia para explorar tudo. Corri bastante no início e, depois de um tempo, me dei conta de que não estava aproveitando como deveria. Resolvi desacelerar um pouco, curtir a vista (afinal, não foi para isso que decidi fazer o passeio?) e resolvi que voltaria de ônibus para Zadar.

Acontece que perdi o último coletivo do dia. Descobri que o horário que eu havia pesquisado na internet não valia e era impraticável pegar um táxi de volta. Eu tinha duas opções: arrumar um lugar para dormir por lá ou… pedir carona. Essa foi a dica de um taxista de lá e eu, carioca desconfiada que sou, dei risada. Ele jurava que era seguro. Mas no fim das contas ele me sugeriu uma solução intermediária, que era pegar um táxi até uma parada na beira da estrada em que sairia um ônibus para Zadar de madrugada. Foi o que eu fiz, e cheguei exausta, mas sã e salva.

Mesmo que você não passe pela mesma saga (por favor!), vale pensar no tempo que se perde na fila e no quanto você deixa de aproveitar o parque. O site oficial indica alguns hotéis e áreas de camping na região, mas vale buscar relatos de quem já se hospedou por lá. Existe inclusive a opção de comprar o tíquete para dois dias (estudantes têm desconto).

Falaremos sobre Zadar num próximo post sobre a Croácia, mas se você quiser explorar Dubrovnik, Split e Trogir pode seguir nossos roteiros de Game of Thrones e Doctor Who. Depois diga para a gente se também se apaixonou por esse país!

Leia também


About Giselle de Almeida

Carioca, jornalista, estudante de cinema, gauche na vida. Pareço legal, mas tento convencer os amigos a verem minhas séries favoritas