Primeira vez na Jedicon: nossas impressões do evento que celebra Star Wars


Quem acompanha o Roteiro Adaptado já sabe que a gente adora um evento nerd. Ainda não conhecíamos, no entanto, a Jedicon, que já acontece há 18 anos no Rio, iniciativa dos fundadores do Conselho Jedi. Graças ao evento, que aconteceu no último fim de semana (8 e 9 de julho), nem precisamos ir a uma galáxia muito, muito distante para comemorar os 40 anos de Star Wars: foi ali mesmo na Barra da Tijuca que fãs e curiosos vivenciaram a Força. Preparem-se, jovens padawans: vamos contar um pouco do nosso treinamento Jedi!

Cosplayers: a alegria da convenção!

Primeiro, não é justo comparar o evento com outras feiras geeks que englobam vários temas: os próprios fundadores lembram que que é uma convenção de fãs para fãs e não tem pretensão de se tornar uma CCXP, por exemplo. Por isso, o espaço é menor e a lista de atividades, bem mais enxuta. Mas isso não torna o programa menos divertido para os cosplayers e as crianças – boa parte do público, inclusive, era de famílias (prepare-se para morrer de fofura com tantos baby Yodas e baby Leias!).

Sentimos falta de mais variedade nos temas e nos convidados dos painéis, que, por vezes, se repetiam. Billy Dee Williams, intérprete de Lando Calrissian, anunciado inicialmente como atração principal deste ano, fez falta. Com isso, os destaques ficaram com as presenças dos dubladores da saga Philippe Maia, Renan Freitas, Adriana Torres e Fernando Caruso (Poe Dameron, Finn, Rey e  Agente Kallus respectivamente), do grupo de humor Três Elementos e do Jovem Nerd, que lotaram o auditório George Lucas e criaram as filas mais longas do (gratuito) Meet & Greet.

Hora de falar dos painéis: Joven Nerd, representatividade e humor com Três Elementos!

Havia ainda uma programação paralela no auditório secundário, o Timothy Zahn, como apresentação de documentários, e discussões sobre o universo estendido, mas não chegamos a conferir. Quando não estávamos no principal, aproveitamos para explorar as demais atividades do lado de fora: seja nas duas horas de fila para testar uma das experiências de realidade virtual ou tentando não falir com os estandes de artigos nerds, livros e roupas (que lembraram que fãs de Star Wars também gostam de outras franquias. Até Star Trek tinha!).

Para os mais corajosos, era possível fazer uma tatuagem por lá, bem ao lado do Artist Alley, com belos pôsteres e HQs à venda.  Um palco com transmissões ao vivo para as redes sociais do evento, com entrevistas e brincadeiras, também virou uma atração extra para quem só estava passando, e os pequenos tinham uma área especial para suas lutas com sabres de luz e outras atividades.

Padawans em ação, Giselle usando a Força e sonhos de consumo nerd!

Além de animar a feira o dia todo pelos corredores, com direito até a parada ao som da marcha imperial, os cosplayers garantiram um fim de evento bem-humorado nas duas noites. No sábado, Chirrut Imwe trouxe o auditório abaixo e levou o prêmio popular (até a voz era igual!). Já o General Grievous e a Leia cativa com o Jabba foram eleitos os melhores pelos jurados. Lando ficou de mãos vazias, mas devia ter levado a faixa de Mister Simpatia, já que invadiu painéis, fotos alheias, arrumou um sósia e conquistou a plateia com seu jeito fanfarrão. Confira todos eles em nossa galeria de cosplayers no Facebook.

Cedo ou tarde, todo nerd precisa recarregar as baterias. A praça de alimentação intitulada Cantina de Mos Eisley, na verdade trazia apenas as opções de lanche servidas pelo proprio Windsor Convention & Expo Center, que hospedou o evento. O cardápio restrito não atendia as necessidades de todos e acabou desagradando. Mas oferecia lanches temáticos, alfajores decorados, hamburgeres com pão preto inspirados em Darth Vader (com pão preto) e o favorito da galera o leite azul da tia Beru.

Leite azul, miniatura (gigantesca da Millenium Falcon) e lives no chão da feira!

Não era difícil chegar na convenção, que oferecia translado do metrô. Infelizmente o serviço não contou com os tradicionais atrasos em eventos grandes, e deixou que ficou até o fim das atrações a pé. Nós logo, conseguimos pegar um ônibus, mas esse detalhe pode ser um inconveniente para que não mora na cidade e desconhece as opções.

Mais intimista e com apenas um tema como foco, a Jedicon foi uma curiosa experiência de imersão no universo criado por George Lucas. É uma das convenções mais tranquilas que já frequentamos e, por isso, tem se charme particular. Após este fim de semana no Conselho Jedi, podemos afirmar que somos uma com a força e a força está conosco!

Queríamos levar para casa!

Leia também