Programas gratuitos (ou quase!) para curtir Buenos Aires


Quer coisa melhor do que conhecer um destino gastando pouco? Uma capital cheia de atrativos como Buenos Aires tem muitas opções gratuitas ou bem baratinhas de passeios e programas que rendem vários dias agradáveis sem apertar o orçamento.

E não estamos falando só dos cartões-postais, não! Vale muito a pena pesquisar bastante antes de pegar o avião e usar a criatividade para aproveitar a viagem ao máximo. Vamonos?

 

Leia também:

Revisitando um destino de viagem (ou me encantando com Buenos Aires pela segunda vez)

10 lugares cinematográficos de Buenos Aires

Caminito

Começamos com um clássico, um dos lugares mais fotografados da cidade. Que me perdoem os mais blasés, mas acho que é imperdível sim, pelo menos na sua primeira visita à capital: me encantam as cores, os murais, o tango, as lojinhas…. É bem turístico? É, mas se eu sou turista estou no meu direito!

Museu do Humor

Foi numa pesquisa recente sobre o que fazer ali para os lados de Puerto Madero e Costanera Sur que descobri o Museu do Humor. Para quem se interessa pela produção de charges e quadrinhos feita pelos hermanos, é um passeio interessante. A entrada é gratuita de segunda a quarta-feira, e nos outros dias da semana custa apenas 10 pesos.

 

Paseo de la Historieta

Fãs de quadrinhos também vão gostar de seguir seus personagens favoritos (e descobrir outros tantos) seguindo o Paseo de la Historieta, uma homenagem local, criada em 2012, dedicada a tesouros nacionais como Mafalda, Gaturro e Negrazón, entre outros. São mais de 20 esculturas e sete murais espalhados pelos bairros de San Telmo, Monserrat e Puerto Madero, e é divertido cruzar com eles pelo caminho. Mas se você quiser fazer o circuito completo, basta seguir o percurso indicado aqui.

Fragata Sarmiento

Depois de visitar o Museu do Humor, passei umas horas bem agradáveis conhecendo Puerto Madero. Além da fotogênica Puente de la Mujer, gostei muito de descobrir a Fragata Sarmiento, uma embarcação de treinamento da marinha transformada em museu náutico.  São muitos objetos em exposição, mas nada se compara a caminhar pelos setores da fragata e enxergar Puerto Madero de outro ângulo. No segundo e no quarto domingo do mês, são celebradas missas a bordo. A entrada custa 2 pesos argentinos.

 

Plaza de Mayo

O endereço mais tradicional de Buenos Aires é praticamente obrigatório – as faixas e inscrições nas grades, nos chãos, nos muros, lembram que ali vibram as principais manifestações políticas da capital, é uma praça do povo. Além da visita (gratuita!) à Casa Rosada, também é o ponto de partida para conhecer a Catedral Metropolitana, que abriga o mausoléu do general José de San Martín e conta com um museu em homenagem ao Papa Francisco, com objetos pessoais e outros utilizados por ele nas liturgias.

 

Bosques de Palermo

Sempre gosto de incluir um pouco de verde nas minhas andanças por aí, e digo que um dia em Palermo faz bem à alma, juro! O bairro tem muitas atrações pagas que são minhas queridinhas (como o Jardim Japonês e o Planetário), mas também é bem possível aproveitar um dia ensolarado sem gastar muito no Parque Tres de Febrero, também chamado de Bosques de Palermo. Dedique algumas horinhas para caminhar pelo Rosedal, com sua coleção de mais de 8 mil rosas, e admirar o lago com pedalinhos (e linda vista pra cidade), o anfiteatro, o pátio andaluz e o Jardín de los Poetas, com bustos de poetas e escritores como Dante Alighieri e William Shakespeare.

 

Feira de San Telmo

A clássica foto com a Mafalda que abre este post não é a única atração da feirinha – aliás, já contei aqui no blog que visitar esses mercados de rua é um dos meus programas favoritos em qualquer viagem. Se o seu domingo estiver livre, vale dar uma passada por ali e levar algumas lembrancinhas para casa (muito mais legal do que comprar no Centro).

 

Livraria El Ateneo

Passar horas numa livraria já é um programa que, por si só, já me deixa feliz. Se for num prédio lindo como a El Ateneo, então, nem se fala! Antigamente, a construção era ocupada pelo cine teatro Grand Splendid, no simpático bairro da Recoleta. Concertos de balé e ópera já passaram pelo local, que hoje recebe mostras e exposições.

 

Museu Nacional de Belas Artes

Outra atração no bairro da Recoleta, o Museu Nacional de Belas Artes abriga a maior coleção de arte argentina do país, além de obras de artistas estrangeiros como El Greco, Goya, Auguste Rodin, Rembrandt, Renoir, Cézanne e Pablo Picasso. Fotografias, esculturas e peças da cultura andina do período pré-colombiano também fazem parte do acervo do imponente museu, que funciona de terça a domingo e tem entrada gratuita todos os dias.

 

Floralis Genérica

O nome da escultura de 20 metros de altura é uma homenagem do arquiteto argentino Eduardo Catalano a todas as flores: por volta das 7h30 da manhã, suas pétalas se abrem e voltam a se fechar às 20h30. Feita de aço inoxidável e alumínio, o objeto de 18 toneladas é a estrela da praça Naciones Unidas, também na Recoleta, e um dos pontos favoritos dos turistas que visitam Buenos Aires.

 

Miradores de Buenos Aires

A prefeitura tem um programa de visitas gratuitas a locais com vistas panorâmicas da cidade, chamado Miradores de Buenos Aires. É preciso se inscrever por e-mail para um dos passeios previstos na programação,  que é divulgada mensalmente. Então é bom se programar assim que você já souber os dias que vai estar pela cidade. Da última vez, tentei agendar uma subida à Torre Monumental (foto), que normalmente não abre ao público, mas não consegui vaga 🙁 Entre as opções para ver a cidade do alto estão também o Hotel Panamericano, a Galería Güemes e o restaurante Zirkel (Club Alemán).

Gostou da nossa lista? Fique à vontade para deixar outras opções de programas gratuitos nos nossos comentários! E acompanhe também todo nosso conteúdo sobre Buenos Aires aqui no blog 😉

Leia também


About Giselle de Almeida

Carioca, jornalista, estudante de cinema, gauche na vida. Pareço legal, mas tento convencer os amigos a verem minhas séries favoritas