Solar do Jambeiro: lugar perfeito para uma pausa em Niterói


Então você resolveu passear por Niterói, mas o  sol está muito forte e precisa de um descanso? O Solar do Jambeiro está de portas abertas pra você. Pertinho de Museu do Ingá e a poucos minutos de caminhada do Museu de Arte Contemporânea, esse solar super simpático tem uma história interessante: de residência particular a sede de um clube recreativo, hoje é propriedade do Estado e abriga um centro cultural.

A historia

Construído em 1872 por um comerciante português no estilo aristocrata da época, foi residência vários outros donos. O mais expoente foi o diplomata Georg Christian Bartholdy – a casa, aliás, também é conhecida como Palacete Bartholdy – que acabou passando pouco tempo dentro da propriedade por conta de sua atividade profissional. Seus herdeiros ainda sustentaram a casa e a chácara por algum tempo até que, na década de 1970, o então solar Bartholdy começou a ser utilizado para fins culturais, como saraus literários e exposições promovidos por Lúcia Falkenberg (esposa do último herdeiro Bartholdy). Nessa mesma década, a propriedade foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) por sua arquitetura.

Porém, os custos de manutenção eram bastante altos e, ao fim dos anos 1980, a família realizou um leilão e desfez-se dos móveis e obras de arte restantes. Começou um período de decadência, com a degradação da estrutura e depredação do lugar. Em 1997, a Prefeitura de Niterói desapropriou o lugar com o intuito de restauração da arquitetura original e para a preservação da historia. Desde então, o Solar do Jambeiro funciona como um espaço cultural, que abriga exposições e apresentações musicais dos mais variados estilos.

Visitação

Os belos jardins tem vários bancos, de madeira e de pedra, para os visitantes descasarem. Várias espécies de árvores frondosas e frutíferas conferem um ambiente agradável e relaxante. Bem à frente do casario, um enorme jambeiro proporciona sombra (muito bem-vinda em dias de calor intenso) é a origem do atual nome popular do solar. Há ainda um pátio externo para shows e uma bela estufa (vazia, mas bastante preservada). O prédio em si também está aberto, e um guia está sempre à disposição para acompanhar e informar sobre a história do lugar.

É um tanto estranho ver a casa, tão bela e cheia de detalhes, completamente vazia. Os espaços estão todos desmobiliados, porém mantém o charme de seus tempos de glória. Detalhes, como a escada em madeira, os vitrais, os detalhes no teto, os beirais em azulejo português são belíssimos e nos fazem pensar em como seriam se estivessem completamente decorados como luxo da época em que fora construído. Hoje, devem servir como um ótimo cenário para pequenos shows intimistas e as outras atividades ali realizadas.  Os únicos cômodos com mobília são a Sala de Jantar no andar térreo, onde encontramos um piano e duas curiosas pias/bebedouros (apenas para a decoração), e um quarto no segundo, com alguns objetos decorativos que dão uma noção de como era a disposição da casa – porém ficam muito aquém do potencial do lugar. Ao chegar nas janelas e olhar para o jardim, é nítido sentir a diferença de épocas: as grades separam o trânsito barulhento do pacífico recanto e nos faz pensar em como seria diferente a vida ali, naquele cantinho de mundo, no século 19.

Então, se estiver precisando de um cantinho para descansar as pernas ou um lugar para viajar no tempo, separe uma horinha para visitar o Solar do Jambeiro. De graça, perto de outros museus importantes do circuito niteroiense, tem fácil acesso por linhas de ônibus e uma pequena caminhada (para quem estiver disposto). A visitação é gratuita, exceto em dias de apresentações.

Solar do Jambeiro – Rua Presidente Domiciano, 195 – São Domingos, Niterói/RJ
Contato: museusolardojambeiro@gmail.com / (21) 2109-2222 | (21) 2109-2223
Horário: : De terça a sexta, das 13h às 18h, sábados e domingos das 10h às 18 h. O jardim funciona de terça a domingo das 9 às 18h.
Programação: visite o site oficial.

Leia também


About Geisy Almeida

Formada em Fotografia, fã de boas estórias que sejam bem contadas - não importa se em forma de livro, filme, novela ou bate-papo. Curiosa e interessada em muitos assuntos, às vezes viajo na maionese.

  • Inácio Viana

    Muito legal seu registro, agrega valor ao atrativo e incentiva a visitação. Parabéns!!!!

    • Geisy Almeida

      Obrigada, Inácio!

      Fique do olho no blog porque temos muito mais locais para visitar.

      Abraços! =D