The Art of the Brick – muito mais do que apenas uma exposição de Lego


Depois de passar por vários países e de uma passagem bem-sucedida por São Paulo, chegou a vez do Rio de Janeiro ter a chance de receber (para uma curta temporada) a exposição The Art of the Brick, do artista americano Nathan Sawaya. Conhecida como “a exposição de esculturas de Lego”, é bem mais do que isso. A forma como se explora o espaço nos faz compreender a jornada do ex-advogado que decidiu arriscar-se e seguir seu sonho e, principalmente, seu talento.

the-art-of-bricks

Sawaya fora incentivado, quando criança, a criar os mais diversos tipos de objetos com as pecinhas encaixáveis e manteve o hobby mesmo quando adulto e já advogando. Mas ele parecia insatisfeito de trabalhar naquele ambiente estressante, e escolheu transformar seu hobby em arte. Mesmo o passo sendo tão ariscado (trocar a estabilidade de uma carreira reconhecida para se aventurar em um ramo artístico com uma técnica inusitada), o artista optou por seguir seus instintos. Deu certo.

Mais do que apenas figuras interessantes montadas com brinquedo infantil, as obras de Sawaya são realmente inspiradoras. Os temas principais de suas obras mais impactantes são a busca de si próprio, do eu interior que luta para sair da jaula que nós teimamos em criar.

 

A exposição

the-art-of-bricks-pele_edited

Na versão brasileira, temos uma obra especialmente criada pelo artista que represente o país visitado. No nosso caso, uma homenagem ao nosso futebol com o Rei Pelé retratado no momento do chute. Dividida em alas, começamos a experiência pelo “Ateliê do artista”, uma imersão nas incríveis ideias e no aprimoramento da técnica e uma representação lúdica do lugar onde Sawaya cria suas peças.

the-art-of-bricks-atelie-do-artista

 

Segue-se pela “Sala dos Retratos”, onde quadros com fotos famosas de personalidades impressionam pela precisão. De perto e de longe, as obras são belíssimas. Reserve um tempo para observar os detalhes de montagem bem de perto e depois afaste-se para perceber como elas sequer lembram brinquedos.

the-art-of-bricks-sala-dos-retratos

 

Continuamos pelas belíssimas alas “Expressões Humanas” e “Condições Humanas”, que tem obras impactantes sobre o tema preferido do artista, algumas em escalas gigantescas. De forma quase lúdica, bastante intuitiva e emocionante, as obras retratam emoções humanas como superação (tão pertinentes ao artista), amor e inspiração.

the-art-of-bricks-expressoes-humanas

 

Segue-se à ala “Dinossaurium”, um esqueleto de tiranossauro-rex com 6m de comprimento e mais de 80 mil peças que ocupa uma ala inteira. Segundo o próprio artista, já que as peças Lego são consideradas brinquedo de criança, ele resolveu criar essa peça em homenagem a elas.

the-art-of-bricks-dinossaurium

 

Depois disso, chegamos à parte final da exposição. Dividida em três alas, apresenta obras grandiosas. Na ala “Mestres do Passado”, fica clara a homenagem e o talento do artista ao reproduzir obras internacionalmente famosas de pintores como Vermeer, Van Gogh e DaVinci e algumas das esculturas mais conhecidas, como o Davi de Michelangelo e o Pensador de Rodin. Com técnicas distintas (às vezes usando as laterais para compor um painel liso como uma pintura, às vezes usando a tridimensionalidade para realçar a beleza do quadro) e escalas diferentes, Nathan Sawaya demonstra grande percepção e habilidade artística.

the-art-of-bricks-mestres-do-passado

 

Suas duas obras finais tem alas dedicadas para elas: são “Blue”, uma intervenção multimídia de luz e som sobre uma escultura de uma nadadora, e “Yellow”, a escultura icônica da exposição. O homem amarelo que rasga o próprio peito e transborda é impactante e faz sucesso com os espectadores.

the-art-of-bricks-yellow

 

Depois de tanta coisa bonita, é lógico que a lojinha de conveniência ao fim da exposição faz sucesso. Com produtos para todos os gostos e bolsos – de chaveiros e botoms até cartazes, canecas e camiseta, passando por produtos licenciados da Lego – há ligação também para uma ala interativa: duas mesas repletas de peças de diversos modelos e tamanhos estão a disposição para quem quiser explorar a criatividade.

Imperdível, The Art of the Brick promete agradar a adultos e crianças. Uma ótima pedida para um fim de semana com as crianças ou aquela pausa na rotina durante a hora do almoço.

 

The Art of the Brick – 17 de novembro de 2016 a 22 de janeiro de 2017 (atualizado)
Museu Histórico Nacional – Praça Marechal Âncora, s/n, Centro, Rio de Janeiro
Horário: Terça a domingo (incluindo feriados), das 10h às 17h
Ingressos: Inteira – R$20, meia – R$10 (o ingresso para a exposição dá direito às outras exposições no museu)
Visite o site oficial da exposição para mais informações

Leia também


About Geisy Almeida

Formada em Fotografia, fã de boas estórias que sejam bem contadas - não importa se em forma de livro, filme, novela ou bate-papo. Curiosa e interessada em muitos assuntos, às vezes viajo na maionese.