“Vamp” e “Por Amor”: Veneza nas novelas brasileiras


A Piazza San Marco, principal cartão-postal de Veneza, vista do vaporetto

Foi escrevendo o post de hoje que me dei conta: Vamp foi a responsável por me apresentar Veneza pela primeira vez. Uma das minhas novelas favoritas da infância deixou no meu baú de memórias afetivas várias cenas marcantes da cidade. Vocês tinham o álbum de figurinhas da novela? Eu tinha. E na época, claro, nem sonhava em visitar aquele cenário!

Já um pouco mais velha, foi a vez de “revisitar” a cidade em Por Amor, uma dos tantos folhetins que iriam aumentar meu desejo de conhecer a Itália. Diz aí se você também não ficou com vontade de passear por aqueles canais como Helena e Atílio?

Pois esse post é para mostrar que, mais que alimentar o imaginário coletivo, as novelas podem ser um grande incentivo na hora de viajar!

Sedução em Vamp

Natasha (Claudia Ohana) no primeiro capítulo de “Vamp”: a cantora fez uma apresentação na Piazza San Marco, em Veneza

Começamos nosso tour por Veneza com a inesquecível sequência em que Natasha (Claudia Ohana) dança na Piazza San Marco, rodeada de curiosos com seu visual gótico, deixando Gerald (Guilherme Leme) impressionado. Eu, do alto dos meus 8 anos incompletos, também fiquei. E me apaixonei por essa história louca e divertida de vampiros com direito a Rolling Stones de trilha sonora.

Depois vim descobrir que praticamente 100% dos filmes rodados na cidade usam esse mesmo espaço como locação, mas foi ali que soube que os pombos são os donos do pedaço. Vinte e cinco anos depois, fui vítima de alguns deles ao tentar comer um mísero sanduíche entre uma andança e outra…

Mas acho bem legal o fato de a cidade ter sido usada na trama sem cair no estereótipo: notem que não estamos falando de romance aqui.

Gerald (Guilherme Leme) na Piazza San Marco, com a Torre do Relógio ao fundo

É incrível notar hoje que a sequência italiana se passa apenas em alguns minutos do primeiro capítulo da novela (por alguma pegadinha da minha própria memória, eu jurava que durava mais, mas a ação na história de Antônio Calmon se desenrola mesmo na fictícia Armação dos Anjos). Após firmar um pacto com o conde Vladimir Polanski (Ney Latorraca) para se tornar uma cantora de sucesso, Natasha (quero ser quando crescer) chama a atenção do empresário musical dançando ao som de canções sacras do grupo Enigma.

O que era aquela música? O que era aquela roupa? O que eram aqueles planos inclinados ousadíssimos? Eu sei, é tanta coisa maravilhosa, mas vamos tentar manter o foco.

Durante a performance, é possível vermos alguns dos principais pontos turístico da praça: a Basílica de São Marcos, o Palazzo Ducale, o Museo Correr, o Campanário de São Marcos, a Torre do Relógio e as estátuas de São Teodoro e do leão alado de São Marcos na entrada da praça. É numa mesa bem ali ao lado que Natasha desmaia ao chegar perto de Gerald pela primeira vez. Vocês sabem, o enigma sobre encarnações passadas foi lançado.

Depois disso, os dois fazem uma corrida de gato e rato pelas vielas da cidade, numa armadilha de Vlad. Além disso, a novela mostra o empresário passeando de gôndola pelos canais de Veneza e tomadas aéreas de outros cartões-postais locais, como a Basilica de Santa Maria della Salute e a igreja de San Giorgio Maggiore. Como já falei de muitos destes lugares nos posts anteriores de Veneza, deixo vocês com os pontos destacados no mapa e mais fotos na galeria no fim deste texto.

Romance em Por Amor

Eduarda (Gabriela Duarte) e Helena (Regina Duarte) se passam por italianas em Veneza, em cena de Por Amor

Por falar na igreja de San Giorgio Maggiore: ela também aparece em outra novela muito famosa, que teve seus capítulos iniciais gravados por lá: Por Amor. Vocês lembram que foi lá que Helena (Regina Duarte), de férias com a filha, Maria Eduarda (Gabriela Duarte), conhece Atílio (Antonio Fagundes), certo? Manoel Carlos foi bem esperto de aproveitar os cenários lindíssimos da cidade para embalar algumas cenas românticas dos protagonistas ao som de Per Amore, na voz de Zizi Possi. Clássico instantâneo.

Pois bem, a igreja, que infelizmente só vi de longe, é pano de fundo para as fotos de mãe e filha. Para chamar a atenção do arquiteto, Helena resolve se fingir de italiana, mas a farsa não dura muito. Em seguida, o trio vai almoçar. A vista não é fraca não…

Helena também passeia no Giardino Casanova, jardim do hotel Cipriani, na ilha de Giudecca, mais afastada da ilha principal, mas acessível de vaporetto. Na despedida de Veneza, o viúvo a convida para uma caminhada pela Piazza San Marco (sempre ela!), com direito a mãos dadas, e um passeio de barco pelo Grande Canal, com passagens pela Ponte de Rialto e Ponte dell’Accademia, as duas principais travessias de pedestres entre o sestiere (bairro) de San Marco, o mais turístico, e outras áreas menos badaladas da cidade.

Rialto é um ponto bastante procurado pelos turistas por conta do comércio popular que fervilha por ali – se você está atrás de lembrancinhas de Veneza, aqui pode ser um lugar para torrar alguns euros. Atravessando a ponte, chegamos ao sestiere de San Polo, onde ficam, por exemplo, o Campo San Polo e a Grandi Scuola di San Rocco, famosa por abrigar obras de Tintoretto.

Já a Ponte dell’Accademia nos leva ao agradável sestiere de Dorsoduro: por lá ficam a Galleria dell’Accademia,  que acabei não visitando, e a já citada Basilica de Santa Maria della Salute (que também aparece de relance em Por Amor). Vale a pena fugir da multidão por lá.

Veneza no Jardim Botânico

A título de curiosidade: a Globo produziu uma novela de época chamada A Ponte dos Suspiros, em 1969, também ambientada em Veneza e estrelada por Carlos Alberto e Yoná Magalhães. Na história, assinada por Stela Calderón (pseudônimo de ninguém menos que Dias Gomes), ele é Rolando Candiano, um doge preso no dia do seu casamento com Leonor Dandolo (Yoná).

Segundo o site Memória Globo, algumas cenas foram realmente gravadas na Itália, mas só encontrei registros das cenas que aconteceram mesmo… no Jardim Botânico (!). É que nos estúdios da emissora, no Rio, foi construído um canal com 10m de extensão e 50 cm de profundidade. Agora, imagina que delícia uma novela inteira em Veneza, para viajar também no tempo…

Como Veneza nunca é demais, um pouco mais da cidade na nossa galeria:

Leia também


About Giselle de Almeida

Carioca, jornalista, estudante de cinema, gauche na vida. Pareço legal, mas tento convencer os amigos a verem minhas séries favoritas